sábado, 30 de junho de 2012

Minha Participação na Comemoração dos 4 Anos do Dalla Blog- Oxumaré





Uma honra participar deste que é um dos Blogs que eu mais tenho sintonia!
Um Blog refinado e tão famoso! :) Tão bem feito! Só poderia ter a chancela desta energia arquetípica do Arco-íris!
Confira ( AQUI ) a postagem completa.
Eu e o Marcelo, acabamos a meu ver, fazendo uma Oferenda conjunta e virtual ao Pai Oxumaré, bem em sincronia com sua Oferenda a Oxumaré...
As imagens são belíssimas, o texto e os comentários levam em si conhecimento.
Imperdível!
O Conhecimento e a Arte despertados pela Serpente!

Gratidão Marcelo... <3

Parabéns ao Dalla Blog!

Esta postagem é uma homenagem ao Artísta completo Marcelo Dalla!


sexta-feira, 29 de junho de 2012

Je ne mas de manquer!... e Ode ao 'Marujo Português'





Jamais sentirei saudades de ti!
Porque estás em mim...
Como pode?!
Habitas a mesma sintonia?
esta alma em semente...
Impossível!
Se és alma-cotovia... tacanha
e ao mesmo tempo arredia! 
Como pode se és morder o peixe com a espinha!
E de tão infante nos mistérios do amor cantado
apenas serás aquela criatura louvada em despedida
pelos mais marítmos menestreis...!
Não sabes viver este ardor...
ficou a beira do cáis 
a te abandonar per sempre!
És difícil,
e compreender-te em enigma eu não quero mais!
Em mim, toda sintonia do mundo se fez...
se ligou!
...estou conectado a tudo, 
feito o xamã cosmogônico!....
E tu?
Ah!... Mas quando falo de ti
e da dor que me causas... ah... 
me nego! A sentir dor novamente!...


Ou cansas em mim calafrios ou discórdias...
Mea culpa!
Minha única culpa...
Minha máxima jura: Não pecar de novo
querendo o teu gosto doce...
a tua miséria de não saber amar e mesmo assim me querer!


( Jamais serei triste novamente! 
Minha Jura! 
Meu declínio,
meu crime e alívio! )


E de ti jamais sentirei saudade,
de raiva! 
De pirraça mesmo... Pois estas em mim,
feito o sol, 
a flor, 
o oxigênio, 
o olho de peixe!
A gota d'água tropical.




...........................................
Poesia para sair do transe transe social... transe humano.


Ressurgindo.










Aula de Poesia numero 7



Aula de Poesia 7


Sempre preocupados com o parto
não se cuida da gestação!
Assim não se faz verso não...

Pra escrever poesia
não se pode preocupar com a métrica
nem com rima!
Ter medida
ou lingua.
Tem que deixar fluir a mão
deixar cantar o coração.
Sentir e traduzir no papel
'o que se vai n' alma' 
e ela não sabe nunca
de palavras humanas!...


_____________
Imagem dAQUI



Arraiá da Astrid!!!




A dica de ouro desta manhã é conferir o Blog Navegante do Infinito, com a postagem sobre a Festa de São Pedro Pescador em Ubatuba. ( AQUI ) 
Uma formosura! ^. ^
E ainda com a trilha sonora especial que a Astrid Annabelle nos presenteia, desta vez... uma Festança!



Hummm que delícia! Dá gostinho de infância, de pamonha, quentão!.... Bolo de Milho... Hummmmm
Viva São Pedro! Santo António e São João!



quarta-feira, 27 de junho de 2012

Entrevista com Alexandre Mauj






Frente a Frente com o Fogo recebe Alexandre Mauj Imamura do Blog Lost in Japan.

O Samurai da Blogosfera! Mostrando toda sua arte de pensar e falar bem, nosso amigo fala de usa vida no japão sob uma ótica inusitada e inteligente. Mostrando todo o refinamento que costumamos ver em seu Blog neste bate papo que faz parte das comemorações dos 2 anos do Versos de Fogo.

Alexandre, quando você teve a ideia de criar o Blog?


Eu sou muito preguiçoso e a idéia de ter um blog me dava preguiça só de imaginar.
Escrever com assiduidade, postar coisas, fotos, vídeos...
Ter idéias para escrever, ter que escrever sem ser “de qualquer jeito” que nem eu estou acostumado rs...eu imaginava que me daria um trabalho enorme e nem sempre compensador (ainda mais em tempos de tanto bullying virtual).
A idéia de criar o blog nem foi minha, mas da minha irmã.
Ela sempre me cobrou um, sempre insistiu para que eu contasse em um blog as coisas que eu contava pra ela, aos parentes e amigos, de como era minha vida aqui.
E notei que o blog facilitava muito, era só contar uma vez que todo mundo lia, não precisava mandar foto nem texto para cada amigo ou parente, nem contar a mesma história para cada um, olha só, rs.
E no fim acabou chegando tanta gente legal, tantos amigos excelentes e especiais que o blog virou só alegria e fico feliz de ter meu bloguinho. Quando penso no meu blog e nos amigos que lá frequentam me sinto contente.


Há quanto tempo mora no Japão e desde que idade?


Moro no Japão há dez anos, vim com 26.
Tenho 26 anos de Brasil e 10 de Japão, apesar de muita gente achar que nasci aqui. rs.


Como é a vida de um brasileiro no Japão normalmente?


Sinto que a vida aqui depende muito de você.
Se você souber aproveitar o país a vida é ótima.
Se for daqueles que só lamenta e nada faz, a vida é ruim.
Ou seja, não é diferente de outros lugares no mundo, igualmente no Brasil.
Tem muita coisa boa aqui para se conhecer, viver, aproveitar.
A vantagem daqui é que trabalhando você consegue ter uma vida digna, mesmo que não seja um trabalho tão “glamouroso”.
Pena que nós, brasileiros, somos muito fechados culturalmente, muitas vezes nossa visão de mundo e da vida em si é estreita demais, então a Vida é ruim como consequência disto. Conhecendo outras pessoas, de outras nacionalidades, sinto que infelizmente é o nosso, o brasileiro, um dos mais “cabeça-dura” para se adaptar à uma nova realidade.


Como é a sua vida no Japão?


Trabalho, estudos.... gosto da vida que levo aqui.
É uma vida tranquila, calma.


O que você gosta de fazer pra se divertir?

Adoro passear, viajar!
Vou para tudo o que é canto, conhecer um monte de coisas novas e diferentes.
É o que mais curto. E claro, adoro meus amigos, discos e livros.


Qual é sua opinião sobre a Blogosfera:


Das redes sociais acho que é a melhor de todas, a “clássica”.
A gente sempre aprende muito na blogosfera, conhece um monte de gente interessante e que tem tanto para ensinar. Pessoas incríveis.
Muitas vezes sinto que as pessoas perdem tempo demais brigando em twitter ou se distraindo em excesso no facebook, sites bobocas de humor, etc.
Mas nos blogs, na blogosfera, o resultado é muito mais positivo e enriquecedor. Gosto muito!


Quais tipos de Blog são seus preferidos?


Só não curto muito blog de moda feminina, rs.
De qualquer assunto eu acho legal, sempre tem muito o que aprender e conhecer.


E sobre a Internet livre o que você tem a dizer:


Sou à favor da liberdade de expressão. Mas como na vida é preciso respeito, ordem, educação. As coisas estão meio sem limites em excesso, no sentido de ter sujeito considerar engraçadinho debochar de defeitos físicos, crimes, preconceitos.


Você tem amigos na Blogosfera e nas Redes sociais, acredita que uma amizade ou um amor podem acontecer virtualmente?


Amizades, eu acredito sim. Acredito porque é um fato real em mimha vida.
Tenho excelentes amigos virtuais, gosto tanto deles como gosto dos “reais”.
Amor virtual, nunca passei pela experiência, então não sei como é.
Mas vi muitos casos de amores virtuais que resultaram em felizes uniões reais. E outros não.
Como tudo na vida, acho que depende muito mais das pessoas envolvidas que da “situação”.


Você gosta de anime japonês e tokusatsu?


As faces da cultura japonesa mais conhecidas no exterior (anime, mangá, tokusatsu...) eu não curto, não.


Caso sim, você assiste aos lançamentos no cinema?
-


Como é a vida cultural em sua cidade?


Japoneses valorizam muito a educação. Por consequência, a cultura.
Sempre há muitos eventos culturais, por toda a cidade.
Muitos festivais de música, poesia, artes tradicionais e modernas.
Na cabeça de japonês é um desperdício você ficar vendo televisão de fim de semana, em casa. Eles são bem “rueiros”, é programa de fim de semana ir à um evento cultural, atividades diversas.
Para se ter um panorama das atividades culturais da cidade, deixo este link que lista “apenas” as atividades mais importantes: http://kikuko-nagoya.com/information.html  


E o cinema japonês como é?


Fisicamente são muito confortáveis rs. E os espectadores são educados (não ficam conversando no meio do filme, jogando pipoca pelos ares, essas coisas de maloqueiro).
A produção local tem grande espaço, geralmente a arrecadação empata ou perde por pouca coisa para os filmes estrangeiros. Tem uns filmes que gosto muito, recomendo “A Partida” (tem no Brasil em DVD),


Existem ainda os grupos de teatro como Kabuki e outros tradicionais?


Existem e fazem muito sucesso.
Há também os “kabuki” versão feminina (Takarazuka), só mulheres podem atuar.
A tv mantém a transmissão de peças de Kabuki e Noh nos fins de semana (como se fazia no Brasil com o TV de Vanguarda, Grande Teatro Tupi...). No ocidente se diz muita besteira, que nem geishas existem mais, pura bobagem (dentre tantas que falam daqui).


O que você destacaria do Japão hoje?


Hoje o Japão já não tem mais aquele pensamento do crescimento do país, de desenvolvimento, de trabalho, trabalho e trabalho.
A China está na frente, passou o Japão. Outros emergentes caminham para tal, inclusive o Brasil.
A fase é de estabilidade e até mesmo uma certa retração.
Então sinto que na sociedade há um grande questionamento de qual o valor da vida, do trabalho, do ser humano, os valores mudaram.
E depois da tragédia do terremoto, voltou um grande senso de união de todos, como havia no pós-guerra, pela reconstrução.
Uma coisa que destaco bastante é justamente esse sentimento de ação pelo coletivo, por todos. Uma visão cultural menos egoista, menos “eu e só eu”.
Houve o grande terremoto em 2011, em um ano o país praticamente se reconstruiu.


Depois de pouco mais de um ano do acidente nuclear no japão, o que se tem falado sobre o assunto?


A pressão aqui é muito grande em relação ao assunto.
Mesmo antes do acidente nuclear as pessoas já olhavam a energia atômica com desconfiança (muitos já tinham medidores de radiação em casa, etc).
Era uma energia “necessária”, mas muito rejeitada.
E o tempo provou que o povo tinha razão, deu no que deu.
Hoje não há NENHUMA usina nuclear funcionando no país, TODAS estão desativadas.
E a briga é pelo fim de todas, o fechamento definitivo. Na província que moro (Aichi) não há usina nuclear, mas há na província vizinha (Shizuoka). E a pressão popular mantém a usina fechada mesmo não tendo sofrido nenhum dano devido ao terremoto de 2011.
Não temos racionamento de energia nem apagões, mas o povo tem se esforçado para economizar luz justamente para não precisar mais de usina. Segue forte a pressão para o apagão definitivo da energia nuclear no país, protestos e abaixo-assinados são uma realidade constante.


O que se fala de ecologia e sustentabilidade por aí?... Na escola existe uma educação mais específica? Pois aqui no Brasil, fica tudo muito na teoria tanto nas escolas, por parte do governo e das indústrias.


Aqui... sinto que a questão eco é mais na prática.
As coisas aqui costumam ser mais postas em prática, é menos teoria. Aliás, é a grande diferença que sinto entre o Brasil e Japão: no Brasil tudo fica mais na teoria, todo mundo sabe o que está errado mas praticamente não há meios de agir, não há movimento além da idéia. 
É o nosso grande defeito, a gente fala demais, a gente pensa demais e até sabe demais, mas age pouco ou mal, as coisas custam a mudar. E acho que isso não deixa o Brasil deslanchar, crescer e liderar do jeito que o país merece.

TODO o lixo é reciclado, tem regras para separar tudo e reciclar.
Sempre há campanhas para diminuir consumo de não-renováveis, via mídia e material distribuido, com dicas para poupar luz, água e gás. Há as campanhas para você carregar sua xícara eco, seu “hashi”, e não usar mais os descartáveis.

Mesmo nos sacolões do governo há inúmeros cursos voltados à ecologia, para diminuir nosso consumo, aprender a reciclar, reaproveitar, etc (já coloquei algumas atividades destas no blog).

A conferência Nagoya 10 (semelhante à Rio 20) foi um sucesso, teve grande participação popular.
O grande entrave ecológico aqui no Japão é a indústria pesqueira, é a vilã em termos ecológicos. Age da mesma forma sorrateira que a indústria da pecuária/extrativista brasileira.



Como é a mídia no japão, sensacionalista como a nossa ocidental?


Tem uma parte bem sensacionalista, mas as pessoas já sabem que é sensacionalista, então acompanham mais por “diversão” e não levam à sério.
A mídia em si é mais formal que a nossa, ocidental.



Quero agradecer sua participação, quero dizer que você é um querido, uma pessoa muito especial, quem te conhece sabe do que estou falando é pura verdade.
E uma opinião pessoal é que seu Blog é um dos melhores que conheço.



Eu que agradeço, querido William. vc que é um amigo especial, adorado por todos nós, seus amigos blogueiros. Muito obrigado, adorei participar!



segunda-feira, 25 de junho de 2012

O Texto Final Rio 20 ( Pois eu não escrevo mais sobre isto! ) e as 20 Melhoras que o Mundo precisa! JÁ!




As Vinte Melhoras que o Mundo Precisa Já!:


1- Deixar de utilizar combustíveis fósseis e combustíveis vegetais! Sim! Ambos! Para utilizar a energia solar em autos, vias e residências.  Já pensaram o quanto isto limparia o planeta? Os mares? O ar? Quantas florestas e vegetação natural seria poupada? 
( Acaso os donos do poder permitiriam??? )


2- Criar reservas ecológicas dentro das mega-fazendas, e até mesmo das pequenas propriedades, pois nem tudo é utilizado como pasto para o gado. Sempre se desmata além em desperdício, causando erosão! A Proposta é de 20 %  do total para plantio de arvores e crescimento da vegetação natural! ( Doe parte da sua área ou você vai deixar seus descendentes sem oxigênio? Seria o orgumento da campanha, somado a uma multa no valor da própria fazenda! )


3- Desacelerar a sociedade de consumo, diminuir as propagandas em horário nobre, boicotar produtos ( A maioria ) que são produzidos com danos para o meio hambiente. Criar um 'Slow Mercado' e que todos os países do Ocidente adotem.


4- Diminuir a população, Sim isto mesmo! 2 filhos por casal e depois disto, se opera a mulher e o homem. Embasando-se em uma Lei! Sem elevarmos isto aos abusos que ocorreram na China, nada de abortos forçados ou abandono de crianças caso aconteça a segunda gravidez! Nada de apelarmos para o drama de que a criança cresce sozinha, pois a maioria de nossas crianças vive grande parte de seu dia nas creches, e a própria escola é um campo de relacionamentos pouco explorado pelas familias e professores que são despreparados .)


5- Diminuir por lei, o consumo de carne bovina, que gera gastos, queima carvão, desmata muito.


6- Educação Hambiental Rigorosa nas Escolas. Melhora dos Salários e da Preparação dos Professores. Aderir a um ensino que não insentive a competição mas a parceria. Em duplas ou trios, unindo habilidades, o aluno que tem aptidões em cálculos, com aquele que escreve bem somado ao que pesquisa bem! Um auxilia o outro na busca pelo sucesso DA equipe. Ou ainda, uma educação voltada para as aptidões de cada um, o que seria mais lento.


7- Todas as Cidades devem construir suas Estações de Reciclagem de Lixo. ( Há milhões de desempregados na Europa hoje, por exemplo, coloque-os para reciclar o lixo, aprimorem suas habilidades com cursos de artesanato e reciclagem! Parece ofensa? Eu não acho! ) Invistam Promissor Mercado de Reciclagem.


8 - Todas as Grandes cidades, precisam de "filtros" nas chaminés de suas indústrias.


9 - Educação sobre os efeitos dos jogos eletrônicos nos adolescentes e adultos. Informação sobre horas na internet e diante da TV. 


10 - Estudo e divulgação sobre as Drogas entre os jovens e adolescentes: Maconha não faz mal, mas cria uma sociedade alienada e "cozida!" O que você jovem escolhe!?


11- Abertura de espaço para programas inteligentes, teatro, arte, cultura popular, cultura gerada em mídia particular. Tudo isto na Tv aberta de todos países.


12- Internet gratuita e rápida para todos.


13 - Um Codgo de Lei Virtual, nada de apelativos direitos autorais, como a bobagem que faz os organizadores das Olimpíadas por exemplo! 


14 - Incentivo ao Ecumenismo Religioso, Educação Ecumênica nas Escolas, voltada ao Sincretismo Religioso que mostra as Semelhanças. Bem como liberdade religiosa! Todos possuem o Direito de viverem e experienciarem o caminho espiritual que melhor lhes agrade!


15 - Criação de Centros de Incentivo e Divulgação de Novos Artistas, com apoio da Mídia.


16- Centros de Esporte e Cultura que relmente Funcionem no Rio de Janeiro e nas demais cidades Brasileiras, já que o Brasil é um nicho de cultura mundial.


17- Campanha de Combate a Fome, dividindo os lucros das empresas de festfood e das mega corporações exportadoras de alimentos, para os países que possuem sua população na miséria.


18 - Ações que promovam limpezas nos mares ao redor das grandes cidades, criação de grupos de "lixeiros dos mares" e das florestas.


19- Estudos integrados sobre as ervas da Amazônia, sem quererem integrar o território da Amazônia a outros países, isto é ridículo, a Amazônia é parte do território do Brasil!


20- Criação de um Fundo Mundial de Investimento no Planeta, onde todos os países doem uma determinada quantia por ano, e em 10 anos esta quantia somada, ajudaria a resgatar os países menos desenvolvidos, a implantar centros de reciclagem, arte e educação nos mesmos. 
b- Plantar grandes hortas comunitárias.
c- Planejar e realizar grandes jardins!
d- Reciclar o lixo dos países pobres, dando-lhes uma nova renda e profissão: Reciclagem e Recicladores. 
e- Dividir alimentos e agasalhos, bem como remédios. 
f- Criar centros de incentivo a cultura, acesso fácil, rapido e gratuíto a internet, 
e- Cursos profissionalizantes e tecnicos. 


Uma nova sociedade seiria uma sociedade reciladora, que produzisse arte do lixo. Que produzisse comida para se alimentar. Utopia? Eu chamo de humanitarismo! I



............................................................................................................................................................

Escrevi estas 20 sugestões ao mundo por sempre pensar nelas, e enxergar nelas a cura imediata que precisamos, através da liberdade artística, religiosa, e igualdade entre os povos, e especialmente da divisão dos bens!
E especialmente porque não foi ainda definido o texto oficial e final da Rio 20!

As milhares de manifestações geradas no centro do Rio, por causa do resultado final da Rio 20, é um sinal de que a população, mesmo que alienada pela TV e Internet e Consumo, ainda sabe ir as ruas, se juntar, parar otrânsito e pintarem a cara de palhaço! Para que vejam os governates.
Acho um oportunismo de alguns movimentos estarem aqui, eles estãomisturando as coisas... mas ao mesmo tempo isto é válido, viva a sodoma carioca!

Palhaços, Índios, Sem Terra, Manifestantes, Pedestres, Mendigos, Taxistas, Camelôs, Mulheres batucando com seios de fora, Trabalhadores em sua hora de almoço, Prostitutas, Garotos de Programa e Governantes Mundiais! Dava um desfile de Escola de Samba! Só no Rio! Só Brasil mesmo, para provar sua liberdade, Seu Grito, em um momento inoportuno para os poderosos. Quando todos pensam que a plebe se calou, ela ressurge feito praga ou primavera?!


Saber que somo stodos o povo, sim! Políticos, Empresários, Governantes, Plebe! Somos todos povo! A partir do momento que todos somos escravos de m Sistema que criou vida própria. A criatura já se virou contra seu criador. A máquina devora o homem quea criou. MAstiga e mói, quer sugar o quê? Beber o que de nós? Ela se vinga. Ela se vinga por ter sido criada tão feia e tão digna de repudio. A Maquina Capitalista VIgarista Hipócrita, a todos escravisa. Não pensem que quem tem dinheiro está livre desta conquista às avessas de um Admirável Mundo Sujo. Sugado. Bagaço de Laranja. Somos todos o povo, a plebe, onde o Rei é o Dinheiro, o Vivo Metal. Sem alma. Sem coração.


Para que serviu a Rio 20?
Viajando por sites em uma breve busca na velocidade da luz do micro, passando por jornais impressos da semana passada que estavam ainda jogados aqui na minha sala, eu encontrei apenas isto:



"Com a presidência do Brasil na Rio+20, as negociações se manterão com os embaixadores André Corrêa do Lago, chefe da delegação brasileira, e o secretário executivo do Brasil, Figueiredo, sob coordenação do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. A presidenta Dilma Rousseff assume o comando nas reuniões plenárias a partir do dia 20 até 22.
Os desafios do Brasil são incluir, de forma detalhada, as questões relativas às definições de metas como compromissos formais dos 193 países que integram as Nações Unidas no que se refere ao desenvolvimento sustentável, garantias de recursos para a execução das propostas e meios de assegurar transferência de tecnologias limpas." Colhido  AQUI



Digitando Considerações finais da Rio 20 eu encontro no Google, o meu texto no Blog Sonho de Carnaval AQUI. E esta postagem não teve mais de 60 acessos! Peraí! Ninguém está buscando esta informação atualmente?



Ainda na Busca de um Texto final da Rio 20, eu me deparo com este artigo:



"Se depender da delegação europeia, as negociações do rascunho do documento da Rio+20 não terminam hoje. Os europeus querem mais tempo para melhorar o capítulo sobre os objetivos do desenvolvimento sustentável, incluindo no texto metas e prazos. O negociador-chefe do Brasil, embaixador Luiz Alberto Figueiredo, no entanto, continua otimista e garantindo que as negociações terminam hoje.
— Estamos absolutamente convencidos de que vamos fechar o texto hoje. Estamos numa na fase final _ disse o embaixador, garantindo que, apesar da pressão dos europeus, não há nenhuma intenção de prolongar as negociações". — O tempo regulamentar das negociações acabou com o fim do comitê preparatório. Já estamos na prorrogação. Há um limite de tempo e temos que fechar o documento antes da chegada dos chefes de Estado.
Para driblar a ausência do fundo de US$ 30 bilhões anuais para o desenvolvimento sustentável, Figueiredo explicou que o rascunho do documento que está sendo negociado vai incluir "uma cesta de fontes de financiamento", tanto público quanto privado:


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/rio-20/texto-final-da-rio20-pode-ser-conhecido-ainda-nesta-segunda-5245957.html#ixzz1yXGLUwqk"



Então ainda não tem! Eles não chegaram as considerações finais ainda e o evento já acabou! E o povo já esqueceu! A Máquina Capitalista é Tão Mística por ser Hipnótica!

O Povo anda mesmo alienado? Esquece rápido? Quero testar isto!
Vou escrever uma novela, uma novela que mostre golpes políticos em contas bancárias de milhares de contribuintes... que não sabem o que fazer, que chocados, aturdidos se calam e enriquecem 3 pessoas em um país. Vou escrever uma novela, onde a vingadora, não venha dar uma de atriz em uma casa de ricos.. mas que vá atra's de um ex-presidente que na frente das cameras, colori as frases com a palavra honestidade, e ela quando o vê de perto, percebendo a sua miséria humana, se apaixona por ele... ! Não é belo e romântico?





Imagem dAQUI


quarta-feira, 20 de junho de 2012

Entrevista com o Astrólogo e Editor António Rosa








O Quadro dedicado a entrevistas neste Blog, o Frente a Frente com o Fogo, hoje recebe António Rosa, do Blog «Cova do Urso» do site «Escola de Astrologia Nova-Lis» de Portugal, um dos 9 maiores Astrólogos do mundo na atualidade, Editor, Astrólogo... a quem eu agradeço por aceitar esta entrevista, e por quem tenho imenso apreço e sou grato por aprender com ele em seu Blog e ser um dos seus muitos amigos e alunos virtuais da blogosfera, afinal ele é uma pessoa que ensina a cada contato, basta observá-lo.

António, quando começou seu envolvimento com o Oculto?

Olá William, muito agradecido por estarmos a ter esta conversa.

Os meus primeiros envolvimentos com o Ocultismo ocorreram era eu muito menino, com 14 anos, em 1963, na ilha de Moçambique. Foi tudo muito natural, sem esforço. E quem me iniciou foram um padre católico e um imão muçulmano. Tenho belas recordações desses tempos. A aprender, em simultâneo, sobre a «Bíblia» e o «Alcorão».

E a Astrologia entrou como em sua vida?

Sabe, William, nem me lembro bem, mas também era muito jovem, com uma idade parecida. Sempre na ilha de Moçambique. Era uma localidade muito pequena e havia uma papelaria que também vendia livros. Nunca percebi porquê, mas esse estabelecimento importava livros básicos de astrologia publicados no Brasil. Curiosamente, não importava os que se publicavam em Lisboa, nos anos 60. A verdade é que eu passava todos os dias por essa papelaria e ficava fascinado por livros destes temas que estavam na montra. Comecei a comprá-los, da minha mesada, e a lê-los. Assim comecei, vai a caminho de 50 anos.

O que é Ocultismo, Esoterismo, Misticismo?

Bela pergunta, difícil de responder, nos tempos actuais. Dá para perceber que hoje em dia, muitas e muitas pessoas misturam os conceitos, ou então têm medo deles.

Ocultismo é o conhecimento mais secreto de muitos temas que ao longo dos tempos não pertenciam à prática comum. Daí, o terem surgido inúmeras escolas, mais ou menos secretas, que aprofundavam estes temas. Ocultismo é o Conhecimento da Tradição.

William, não sei se você sabe que um dos maiores ocultistas de todo o mundo foi o brasileiro Professor Henrique José de Souza, da Sociedade Brasileira de Eubiose. O professor, falecido em 1963, deixou um acervo impressionante de cartas revelação que ainda hoje são estudadas com imensa atenção, em todo o mundo.

( Sim, sei sim, e saiba que jamais imaginava falarmos dele, hoje aqui! Conheço bem pouco sobre a Eubiose, mas o pouco é Fascinante, e o mais interessante é que A Eubiose tem sua sede em São Lourenço, cidade vizinha da minha terra natal Caxambu e cidade onde cresci Baependi, e que com elas compõem uma Cosntelação de Cidades Esotéricas somando também Aiuruoca e São Thomé das Letras!... Nada é por acaso... )

De alguma maneira, pode-se dizer que o Ocultismo está associado ao esoterismo e ao misticismo.

Quanto ao Esoterismo, em meu entender, é a forma como se analisam os conhecimentos para além da vida corrente. Sobretudo, pretende analisar a filosofia que suporta as religiões. Como você sabe, com os Novos Tempos e com a ignorância generalizada sobre estes temas, tudo passou a ser esotérico. Fazer tarot, lançar carta ou runas é entendido como esotérico. Os cristais, as simpatias e bruxarias, tudo é entendido como esotérico. Também as meditações, e as concepções espiritualistas apoderaram-se indevidamente do termo e agora, tudo é esotérico, mesmo que seja a maior treta do mundo. Na verdade, todos deveríamos saber que «esotérico» e o seu antónimo «exotérico» [tendo a mesma pronúncia] referem-se a duas polaridades normalíssimas em qualquer ser humano. O «esoterismo» trata de tudo o que é de dentro, enquanto que o «exoterismo» cuida dos assuntos externos. Tem muito de misticismo e de ocultismo.

Falando no Misticismo, em meu entender é o que falta e bastante às novas gerações de espiritualistas. A interioridade e a conexão com o divino, com o além, com o Superior. Obviamente, não falo do misticismo à semelhança de figuras famosas como Santa Teresa d‘Ávila ou João Evangelista ou, se quiser, como manifestação última, a própria figura de Jesus. É uma comunhão, é uma identidade com o que é divino.

Gostaria que compartilhasse connosco sua opinião sobre os espiritualistas modernos, para
quem não leu ainda, possa entender muitas coisas!

William, pensei muito nesta sua pergunta e percebo que poderia ser útil desenvolvermos este tema, mas depois de muito ponderar, concluí que este é um tema demasiado delicado para uma entrevista. É preferível debater este tema em artigos profundos para que se possa ler com muita atenção.

Sempre houve espiritualistas modernos. Eu, algures no meu passado, fui um espiritualista moderno. Você, também William. O que me impressiona, nos tempos actuais, nesta era das redes sociais em que tudo dizemos sem pensar, é demasiado frequente encontrarmos este disparate, por exemplo: «qual é a sua religião: sou espiritualista». Isto você encontra em todas as línguas com milhões de pessoas afirmando.

É a humanidade a gatinhar para outros registos. Para outros paradigmas.

Onde estas pessoas fanáticas religiosas e vaidosas pelo que sabem espiritualmente se encaixam na nossa sociedade, segundo a Astrologia, elas possuem algum papel neste jogo cósmico?

A astrologia é uma ferramenta operativa multi-dimensional focada no nosso planeta e a humanidade que cá está, ao nível tridimensional. Da mesma maneira que não advoga nada corporativo [engenheiros, médicos, professores, etc.], também não nos mostra a existência desse grupo de pessoas descritas por você.

Através do mapa natal de cada um, podemos avaliar, individualmente, se a pessoa possui registos fanáticos, religiosos [por exemplo, no meu mapa, a religiosidade é muito marcante], etc. Mas não conseguimos perceber a existência de grupos como os que mencionou.

Claro que cada um de nós possui o livre-arbítrio de superarmos o nosso próprio mapa natal, caso contrário estaríamos a falar de ‘controlos fatalistas’ e, pessoalmente, não vejo as coisas dessa maneira.

É evidente que todos nós desempenhamos algum papel neste conjunto cósmico que é a vida e a evolução da consciência. Não nos compete julgá-los. O máximo que podemos fazer é não aderirmos a certas ideias, se for esse o nosso sentido de vida.

Quando você teve a Ideia de criar o «Cova do Urso» e porque desse nome?

Conheci a blogoesfera em 2000, mas era quase toda em língua inglesa e eu estava nessa altura (2000 a 2003) a criar os fundamentos da minha editora e não dispunha de tempo para quase nada. Quando começaram a surgir os primeiros blogues em língua portuguesa, em 2003, interessei-me ainda mais e comecei a acompanhar mais de perto, mas só em 2005 é que me atrevi a entrar na blogoesfera.

Desde 2003 que tenho estado envolvido na criação de projectos para a internet. Sites e blogues. Além dos sites profissionais da minha editora, também criei um site exclusivo para os meus cursos presenciais de astrologia. O material desse site foi posteriormente usado no actual site «Escola de Astrologia Nova-Lis».

Aproveitei a noite de Natal de 2005 para criar o meu 1º blogue, o «Postais da Novalis». O nome derivava da marca da minha editora: 'Livros Novalis'. Entendi que era uma continuação do que eu fazia no meu dia-a-dia. Esse blogue funcionou como uma plataforma atractora, pois quase que não havia blogues em português a falarem de assuntos que hoje em dia são normalíssimos. Havia todo o género de blogues, mas não os de natureza espiritual-esotérico-astrológico-metafísico. Havia a Astrid e a Onda Encantada. O «Postais da Novalis» foi um blogue bem sucedido. Muito bem sucedido. Era uma plataforma giratória.

Ao começar a fazer postes de astrologia no «Postais da Novalis» percebi que havia leitores específicos para este tema e que não se juntavam aos leitores dos restantes temas. Tal como ainda hoje acontece. Uma pessoa interessada em astrologia não significa que se interesse por espiritualidade. O contrário, também. Não quer dizer que não haja leitores comuns. Em 2006 criei um blogue secundário, que funcionava inicialmente na esfera do «Postais da Novalis», a que dei o nome de «Astrologia para Todos», mas depressa se emancipou e, no ano seguinte, em 2007,  transformou-se na base do  site «Escola de Astrologia Nova-Lis». Há pessoas que conhecem este percurso: a Astrid, a Lucy, a Pitanga, a Onda Encantada, a Magda, e a Clotilde. E muitas outras pessoas.

Dei por mim  em Novembro e Dezembro de 2006, a sentir-me inquieto e a  começar a pensar em criar um site de astrologia, com o material que tinha no «Astrologia para Todos» e no tal antigo site exclusivo para os meus alunos. Essa ideia ia-se  tornando cada vez mais premente. Por isso tomei a decisão de encerrar o «Postais da Novalis» e anunciei o seu apagamento com antecedência, com dia e hora marcada  para 5 Fevereiro 2007. Nunca mais voltarei a fazer isso de anunciar com antecedência o fim de um projecto na internet.  Não anunciarei o fim de nenhum blogue. Recomendo que se faça apenas isto: um último post a 'encerrar' a actividade, fechando também a zona de comentários. Para que as 'energias' não negativizem. Para que não se torne num 'filho' abandonado.

Criei o site da «Escola de Astrologia Nova-Lis» e quando já estava em velocidade cruzeiro, na minha condição de 'blogger addicted', continuava a visitar blogues e a desejar retomar a minha actividade de blogueiro, como quiser. Mas sentia que estava a atraiçoar o site «Escola de Astrologia Nova-Lis», sobretudo a zona do fórum. Bobagens minhas, claro. Mas o universo é sábio e competente e em Novembro de 2007 encarregou-se de avariar o fórum do «Nova-Lis», não permitindo que se colocassem imagens, ou seja, mapas astrológicos, fundamentais para um fórum tão especializado.

De repente, vi-me a criar um blogue só para publicar os mapas astrológicos do fórum. Era o «Cova do Urso». Urso, porque desde o início da minha actividade blogueira, sempre usei o avatar de um urso castanho, que me foi oferecido pela Astrid Annabelle e que pode ser visto por qualquer pessoa, pois está no topo do meu blogue. Uma amiga minha chama-me «Urso» desde 1980. Imagine só! O nome «Cova» surgiu por inerência, pois era a casa do urso, onde ele hibernava. Mais tarde percebi que o nome atraiu imensa gente, pelo inesperado. Que tem a ver um blogue de astrologia e metafísica com uma «Cova do Urso»? Nada, pensarão uns. Tudo, digo eu.

William, uma «cova» não é sítio onde se «ocultam» coisas? Um «urso» não tem um sentido xamânico? Que nome mais ocultsta eu poderia arranjar para o meu blogue??? :))


( Eu sabia que você sabia! Do poder do Urso! )
Entretanto, como era de esperar, a avaria no fórum ficou resolvida, sem nenhuma intervenção técnica e em Janeiro de 2008, decidi usar o «Cova do Urso» como meu blogue pessoal. Foi o melhor que poderia ter feito. Hoje faz parte de mim mesmo.

Esta resposta ficou enorme...Mas tinha que ser!



( Ficou ótima como todas, tinham que ser! ... )
Qual é a relação da Astrologia com a Política e com Desenvolvimento Sócio-econômico do
planeta?

A relação é total. Hoje em dia é que a astrologia é entendida como ferramenta de consciência pessoal e ainda bem que assim é. No entanto, é uma visão muito limitadora da astrologia. Recordemo-nos sempre que até há pouco tempo, a astrologia servia para os reis e senhores feudais conduzirem os destinos económicos dos seus feudos. Só depois é que se percebeu que cada ser humano possuía um mapa natal. Foi uma enorme revolução

Daria para traçar rumos melhores para a Economia da Europa de hoje através da
Astrologia?

Sem dúvida, William. Eu faço parte de fóruns onde esses assuntos são intensamente debatidos. O meu blogue «Cova do Urso» [anos 2008 e 2009] está recheado de posts mundanos [Astrologia Mundana ou Mundial é o nome desta prática astrológica] não só sobre Portugal, mas sobre inúmeros eventos mundiais. É uma área que gosto muito e que procuro manter em alta com as minhas previsões anuais. Apesar de eu saber que é uma área pouco atraente para a maioria dos leitores, por não lhes parecer «coisa» espiritualizante.

Você daria algum conselho pra Economia e para os Economistas do Euro hoje, com a base nos seus conhecimentos?

Só daria conselhos se os pedissem e como os políticos não sabem fazer pedidos, o melhor mesmo é deixar a humanidade crescer como pode. Os meus principais conselhos já estão dados em forma de artigos sobre a entrada de Plutão em Capricórnio. Desde 2008. Estão todos no «Cova do Urso», é só procurarem. :)))

Já não sei onde li, William, que você próprio advoga que a partir do ano 2020 haverá grandes alterações no planeta. Concordo consigo e acrescento um pozinho: De 2020 a 2022 dar-se-á o início de grandes modificações, assim que Plutão começar a preparar-se para sair de Capricórnio e ingressar em Aquário.

A maior curiosidade que tenho com relação a Astrologia é: Quem coloca o nome em um
planeta descoberto? Quem escolhe, pois escolhe acertadamente o nome que se relaciona com
a energia e o arquétipo que o planeta traz e ainda a sua função na carta natal, isto quer dizer
que há uma ligação entre a atual Astronomia e a Astrologia? Como ocorre isto? Há um estudo
das características energéticas do corpo celeste com relação a psiquê e aí se coloca o nome, se batiza o planeta?


É um assunto engraçado e que nada tem que ver com a astrologia, pois é um assunto da área da astronomia. Existem associações corporativas muito sérias que tratam destes assuntos. O que não faltam são organizações locais e regionais de astronomia. Mas também existe uma Federação Internacional a quem são submetidas as apreciações destas questões.

Os planetas que pertencem ao nossos Sistema Solar têm nome. Do Sol a Saturno (os planetas que eram vistos a olho nu), os nomes são tão antigos, têm uns quantos milhares de anos. Todos sabemos que as civilizações antigas (helénica, árabes, mesopotâmicas) se tocavam, se contactavam, mas a verdade é que estes nomes têm origem no panteão olímpico grego, e também no panteão romano dos deuses, o que nos faz situar em cerca de 4 a 5 mil anos. A tradição ficou.para os tempos mais modernos.

Temos que nos lembrar do seguinte: entre aqueles planetas da Antiguidade e os modernos transpessoais - Úrano, Neptuno e Plutão -, decorreram milhares de anos, tempo suficiente para consolidar a Astrologia, fazendo inclusivamente que estes 3 planetas não sejam necessários na análise de um mapa [os bons astrólogos sabem fazê-lo].

Um pouco de história sobre Úrano:


O sr. William Herschel anunciou a descoberta de Úrano, em 13 de Maio de 1781, expandindo as fronteiras do Sistema Solar pela primeira vez na história moderna. Úrano foi também o primeiro planeta descoberto per meio de um telescópio. Deu conhecimento disso ao «Astrónomo Real Britânico». Vários astrónomos trabalharam na análise do planeta, sua órvita e características. O primeiro nome do planeta, dado pelo astrónomo foi «Georgium Sidus» (Estrela de George) ou «Georgian Planet» em homenagem ao Rei de Ingaletrra, Jorge III. mas este nome não deixou ninguém feliz, fora do império britânico. Foram sugeridos outros nomes até que, finalmente, se fixaram em «Úrano», vários anos depois da sua descoberta. O argumento foi simples: se Saturno era o pai de Júpiter. logicamente, o novo planeta só poderia ser o pai de Saturno - Úrano. Só 70 anos depois é que se consolidou o novo nome. As coisas eram mais lentas, então...



Como se pode constatar, a astrologia não é chamada a intervir nestas questões dos nomes dos planetas.

Neptuno (ou Netuno, no Brasil) foi descoberto em 19846 e com facilidade atribuiram-lhe o nome, pois aquilo que se via nos telescópios era uma bola azul, rapidamente os astrónomos atribuíram o nome do «deus romano dos mares». Foi muito pacífico.
Plutão, formalmente designado 134340 Plutão, é um planeta anão do Sistema Solar. Originalmente classificado como um planeta, Plutão é atualmente o maior membro do cinturão de Kuiper. Foi em 2006 que a União Astronómica Internacional (UAI) decidiu reclassificar este planeta, passando a considerá-lo «planeta anão», à semelhança de Quíron, nos anos 60 e que, por esse motivo, nunca entrou no alinhamento do sistema solar. Mas nos anos 60 não havia a designação de «planeta anão», mas sim de «planetóide». Eris e Ceres também estão neste âmbito. Em astrologia estas classificações não têm qualquer importância, pois o que valorizamos é a sua simbologia. Foi descoberto em 1930. O Observatório Lowell, que tinha o direito de nomear o novo planeta, recebeu mais de 1 000 sugestões do mundo inteiro, variando de Atlas a Zynal. O nome Plutão foi sugerido pela menina de 11 anos Venetia Burney, apreciadora de astronomia e mitologia clássica, escolheu o nome do deus romano do submundo, Plutão, adequado para um objecto presumivelmente escuro e gelado.

Os planetas de outros sistemas afastados não têm nome, mas sim um código alfa-numérico fornecido por um computador, onde ficam guardados esses registos. Só lhe dou um pequeno exemplo: neste momento já foram descobertos em vários sistemas estelares bem distantes mais de 500 planetas com a dimensão aparente de Júpiter. Já imaginou o que seria atribuir nomes a todos eles. Se nem todas as estrelas têm nomes, mas sim os tais códigos alfa-numéricos. Mais ainda, se nem todas as galáxias ou enxames estelares têm nome, apenas códigos. Quanto mais os cientistas criam observatórios gigantes e de alta precisão, mais objectos celestes aparecem. Neste momento, nem o observatório mais qualificado consegue avistar o fim do universo.

Durante séculos e milénios (uns 4 milénios) a astrologia e a astronomia eram tratadas na mesma base, pois todo o céu era visto a olho nu. Não havia ferramentas. Quando começaram a surgir essas ferramentas, começou dar-se a separação destas duas áreas. Ainda bem que hoje são assuntos separados, pois a astrologia está concentrada em objectos celestes muito concretos e conhecidos. Só não percebo porque os astrónomos estão sempre a falar contra os astrólogos. Como não percebem nada de astrologia, falam sem conhecimento de causa.

O que fica subjacente nesta questão é bem simples: como é que nomes escolhidos por astrónomos (de Úrano em diante) se aplicavam tão bem à base psicológica e simbólica usada em astrologia? Esse é o grande mistério, pois é o resultado de intenso estudo por parte dos astrólogos. Por alguma razão se afirma que a Astrologia é uma «linguagem divina», naquele sentido das coisas funcionarem bem, mas não encontrarmos uma explicação lógica.

Não nos podemos esquecer que até à 200 anos, a humanidade só estudava a simbologia dos planetas até Saturno. Por alguma razão falamos em «evolução da humanidade». Consoante esta humanidade vai estando mais preparada, vão surgindo os indicadores para avançarmos mais fundo dentro de nós mesmos.

A humanidade sempre evoluiu, desde os primórdios de tudo. Nos últimos anos é que se ouve falar muito em «evolução espiritual». Mas sempre houve. O ser humano sempre buscou entender e sentir aquilo que lhe escapava. E está a conseguir.

Não gosto de ouvir quando astrólogos chamam a astrologia de «ciência». Fico com a sensação que esse astrólogo se deveria dedicar a outra área de vida, pois está a fazer um mal imenso a esta «Arte» e a esta «Linguagem».




( Enfim eu li a resposta! rrsrs Inacreditavelmente mágico isto pra mim sabia!?! )



Quando não havia ainda sido descobertos os planetas “novos”? Como se dava a leitura do
mapa astral?

Durante milénios a «Arte» era praticada com planetas até Saturno, e posso garantir-lhe que funciona lindamente. Hoje em dia, esta área é conhecida como «Astrologia Tradicional», com algumas variações. O seu conhecimento é de grande utilidade e em meu entender todos os astrólogos deveriam passar por aí, para não inventarem no momento em que fazem as suas análises e interpretações.

Todo o Ocultismo tem por base os conhecimentos da Astrologia Tradicional, que possui regras muito rigorosa.

Os chamados astrólogos modernos, sobretudo os que escrevem, ficam nervosos perante a Astrologia Tradicional, pois como a desconhecem, não sabem muito como se desenvolverem com o assunto. Até porque são muito dados a não ligarem às energias intrínsecas dos planetas nos signos. Por exemplo, Júpiter em Gémeos está em detrimento. Como iremos todos analisar os trânsitos das pessoas?

A Influência de um Astro na Vida de uma pessoa, ocorre como e através de que ligações?

William, eu gostaría muito de ser claro no seguinte [é um ensinamento Ocultista): o ser humano é sempre superior ao seu mapa natal. Transcende-o. O mesmo se passa com os outros «logia»: tarot, cartas, etc.

Nunca se saberá exactamente como é que uma linguagem tão complexa como a astrologia funciona tão bem. Só pode ser porque é uma Linguagem Divina, criada e oferecida aos seres humanos. Quanto mais se aprofunda na astrologia, quando mais se estuda mais nos apercebemos que a astrologia é de um rigor impressionante.

Como você explica Livre Arbítrio e a Astrologia?

Não são incompatíveis. Vou dar um exemplo muito comum, que pratico com os meus clientes: se eu vejo que Marte em trânsito está em mau estado celeste, gosto de os prevenir para terem cuidado com a condução, com ferramentas, facas de cozinha, enfim, que se cuidem com eles mesmos. William, nem imaginas a quantidade de feedback que tenho recebido ao longo dos anos dessas pessoas que me contam histórias impressionantes. Umas vezes usaram o meu conselho e puseram o seu livre-arbítrio a funcionar e escaparam de acidentes (e contam-me as histórias). Outras vezes, não ligam e aí as energias do mapa tornam-se senhores absolutos e tenho histórias de acidentes terríveis.

Imagina William, que eu olhava para os teus trânsitos e percebia que no final deste ano o teu Saturno transitará pela tua Casa V (amores, criatividade, filhos) em Escorpião. Em consulta, eu teria por obrigação explicar-te o potencial energético de uma situação destas, que só voltarás a repetir daqui por 29 a 30 anos. Depois de tudo explicado, serias tu a exerceres o teu livre-arbítrio, exactamente para que esse Saturno seja mais suave na sua actuação. Depende sempre de nós. A nossa relação amorosa está fraquinha? Que decidimos fazer? O costume? Esse é o livre-arbítrio.



( Lindo! )

Porque ocorrem fatalidades na vida humana se está tudo ligado e “programado”?

Tudo está ligado, mas não programado de forma fatalista como tanto se gosta de enfatizar. Vejo muito nas relações amorosas, hoje em dia. Vou usar esse exemplo de vida para falar sobre essa tal ‘programação’.

Imagine que Saturno está a transitar a sua Casa VII, provocando situações muito delicadas no seu relacionamento. É aí que entra o livre-arbítrio. Que é que você escolhe: deixar-se abater pelo peso das tais situações delicadas e, com isso, terminar a relação, ou escolhe manter a calma, não se deixar abater por tudo aquilo de difícil que a vida lhe está a trazer [carma] e superar-se, acreditando na relação?

William, você bem sabe o que os jovens [e menos jovens, também] fazem hoje em dia: terminam tudo e partem para outra, sendo muito difícil que as relações funcionem de forma positiva. Se não resistem a uma certa turbulência...

Planeta vivo, existe? Você acredita que cada planeta possa ter uma Alma?

Sim, acredito. Aquilo que você chama de Alma, em relação aos planetas, eu chamo de Logos. É quase a mesma coisa. «Gaia» é o Logos do nosso planeta Terra. É um nome lindo, não acha?

É verdade que o novo regente do signo de Touro é a Terra e não mais Vênus?

Não, não é verdade. Nem será nunca, pois a astrologia é vista do planeta Terra. Esse é um enorme mistério: os signos Touro e Virgem. Ainda não se sabe quem serão os planetas regentes. Por enquanto, nada existe nesse sentido. Por enquanto, está muito bem com Vénus...

Existe mesmo uma Era de Ouro comprovada pela Astrologia?

William, você agora deixou-me confuso, pois não sei a que Era de Ouro você se refere, pois existem várias Eras de Ouro, ao longo do desenvolvimento da humanidade. Não sei se a astrologia comprova isto, pois o que me parece poder comprovar são ‘janelas’ de oportunidade.

Para ter uma ideia do que estamos a falar: o Brasil está a iniciar uma fase excelente e não se sabe se daqui a 30 anos não será chamada de Era de Ouro! A Era de Ouro da Inglaterra ocorreu durante o reinado de Elizabeth I. A Era de Ouro de Portugal foi nos séculos XV e XVI. E por aí fora.

Obviamente este conceito foi aproveitado pela editora que publicou um livro com o mesmo título, com supostas canalizações de Saint Germain. Foi um êxito editorial do início dos anos 2000 e que agora está bastante esquecido. Como dá para perceber, houve uma boa jogada de marketing e alguém foi buscar o conceito ‘Era de Ouro’ que sempre foi associado ao desenvolvimento histórico e económico de partes muito concretas da humanidade e foi levado para os assuntos espirituais. A verdade é que funcionou e o livro vendeu-se muito bem, e obviamente, a sua pergunta parece ser o reflexo disso. Desculpe-me estar a ser tão frontal.



( Tudo bem eu compreendo o 'quadro' que você nos esclareceu tão bem! )
Muito se fala hoje no Brasil sobre a Astrologia Cármica, o que é Astrologia Cármica?

Não é só no Brasil, é um assunto mundial. Mais ou menos procuro acompanhar este assunto, pois dediquei e dedico uma parte da minha Arte a este tema. Tenho escrito bastante sobre isto.

Vou tentar simplificar, pois isto é uma entrevista e não devo maçar os seus leitores com questões técnicas.

É uma astrologia praticada na base de dois conceitos muito simples: carma e vidas passadas. Assim, a posição dos planetas no mapa das pessoas passa a ter um significado mais especial do que apenas o lado psicológicos. Tudo no mapa natal tem que ser tido em conta.

Mas se quisermos ser verdadeiros para com quem estamos a interpretar o mapa, não nos podemos esquecer do dharma, que também se vê em astrologia.

Por exemplo, como tenho o seu mapa, posso dizer-lhe aquilo que você já sabe: você tem o seu dharma [Júpiter] e o carma [Saturno] no mesmo posicionamento astrológico, no mesmo signo, na mesma Casa... Só isto mereceria da parte de nós os dois, uma longa conversa.


Agora vou te fazer algumas perguntas mais pessoais...

Venham elas.

Como está a vida amorosa do António Rosa, hoje?

William, você está a perguntar-me se tenho alguma relação, casamento ou ligação aos meus 63 anos? É isso? Vivo só nos últimos anos e creio que vou continuar assim. kkkk

( kkkk )

Quais são seus projetos para seu futuro profissional?

Acabei agora de me aposentar de editor de livros, por isso sobra-me tempo.

Neste momento estou ocupado a preparar a mudança da minha residência, pois neste Verão [aqui no Hemisfério Norte] vou viver para o interior de Portugal, para uma eco-freguesia, muito cuidada e que possui o melhor de todos os mundos, pois por perto tem tudo: praia, campo, cidade, tudo mesmo.

Quero dedicar-me mais à astrologia, sobretudo fazendo aquilo onde sou mais eficaz e competente: nas consultas, em conversas a dois.

Também quero continuar a escrever e publicar no «Cova do Urso», gratuitamente, para todo o mundo.

Sobretudo gostaria muito de fazer aquilo que só fiz 2 vezes na vida: ter um cliente em regressão, que me forneceu muitas informações muito precisas, tendo conseguido localizar os sítios onde nasceram. A partir daí fiz o mapa natal dessa vida e o da vida actual. Isto parece uma coisa maluca, mas as minhas duas experiências funcionaram perfeitamente e fizeram todo o sentido a ligação entre as vidas. Não o fiz sózinho, tive a companhia de duas amigas astrólogas que me deram todo o apoio. São casos especiais de investigação. Não são consultas comuns. Um dia que haja oportunidade, faremos essa experiência os dois.

( Que interessantíssimo, nós lemos as nossas mentes em além tempo, uma fina conversa geminiana! rsrsrs Com certeza ! ) 
Você se mudaria para o Brasil?

Sim, sem dúvida, para o Sul do Brasil. Longe das grandes cidades.

E pra Argentina?

Já, a correr, se eu pudesse. Também para o Sul. A minha atracção é sempre para o Hemisfério Sul e quanto mais ao Sul, melhor, a caminho da Antártida.

Quando descobriu a Argentina, a Patagônia, como nasceu este Sonho?

Creio que esse fascínio existiu desde sempre. Lembro-me perfeitamente de ainda jovem e já conhecia a literatura argentina mais importante da época: Jorge Luis Borges, Julio Cortazar, Adolfo Bioy Casares e Ernesto Sábato. Todo um mundo que me fui adentrando. Depois veio a fase de conhecer o mundo artístico, com nomes como Luis Barragan, Raquel Forner e muitos outros. Não nos podemos esquecer da música, com cantores fabulosos como Mercedes Sosa, Carlos Gardel e Mario Clavell, entre muitos outros. Obviamente, o tango teve imensa importância na minha vida, como factor identificativo de um país.

Sempre soube que a Argentina era o meu país de sonho. No entanto, durante muitos anos viajei imenso, mas nunca tinha ido à Argentina, até ao ano de 2005, com 56 anos.

Essa decisão não partiu de mim, no sentido objectivo de ter decidido fazer a viagem até à Terra do Fogo. Foram várias ocorrências, todas elas de carácter Ocultista, que ainda hoje não encontro uma explicação lógica, mas a verdade é que mão ando à procura disso. Foi vivido e pronto.

Vou ter que me alongar um pouco, William, pois quero partilhar isto em voz alta.

Entre os anos 2000 e 2003 submeti-me a um longo processo iniciático, que me envolveu completamente, ao ponto de ter passado por um longo processo de regressões, com o intuito de limar e dar-me compreensão e emoções sobre a minha vida actual.. A partir de certa altura, nas regressões, começou a realçar que algures no meu passado, fiz parte de um povo nativo que habitava a Terra do Fogo e que, em duas dessas vidas, terei morrido no mar e o meu corpo não terá sido resgatado, para ser feito os funerais fúnebres que eram usais nessa época.

As coisas estavam assim e eu não entendia o que podia fazer. Em termos meramente mentais [imagine as partidas que a nossa mente nos prega] eu pensava que isso estava associado a outras razões que me levavam a não poder desfrutar de muita praia.

A verdade é que, após esse processo de regressões, as coisas começaram a movimentarem-se lentamente: eram os sinais a aparecerem. Foram imensos e todos ligados a Ushuaia, a Patagónia argentina e a Terra do Fogo. Eram artigos de revistas, programas de televisão, conversas sobre o assunto e eu a começar a interessar-me sobre essa zona do mundo, mas nunca associei às regressões. Nunca. Até Maio 2005.

A já falecida escritora americana, Aurelia Jones, lemuriana, criadora e divulgadora das ideias espirrituais associadas ao Monte Shasta e a Adama, sobretudo através do livro «Telos», que é toda uma arte de pensarmos como funcionará 5ª dimensão. Este tema está muito divulgado.

Pois esta senhora iria dar uma conferência em Madrid e eu, fascinado com a escrita dela, meti-me num avião para estar presente nessa palestra. Por outro lado tinha conseguido uma entrevista com ela para o dia seguinte para tratarmos da publicação em Portugal do seu livro «Telos».

No dia seguinte, essa conversa transformou-se em algo inesperado, pois a Aurelia Jones começa a canalizar à minha frente e a dizer que eu deveria ir à Terra do Fogo resgatar dois corpos meus que estavam no mar e entregá-los em terra, para que fosse feito o funeral ritualístico. Nessa canalização ela foi muito clara dizendo que eu deveria fazer uma viagem de barco por essas águas  [mais tarde confirmei que era o canal Bealgle]. Foi uma história que me deixou quase sufocado, pois maior sinal não existia.

Regressei a Portugal, apreensivo, a pensar como iria eu arranjar tanto dinheiro para fazer essa viagem. Estávamos em meados de Maio de 2005. Inesperadamente, entrou um dinheiro que eu já tinha pensado que não receberia nunca. Imediatamente segui a minha intuição: viajar para lá. Viajar de encontro aos meus sonhos. E assim foi. E resgatei esses corpos, o que foi uma experiência esotérica profunda, que me fez chorar muito, então.

( Nossa que história de Poder! ) 
É chato ser astrólogo, todo mundo pede mapa? Ficam te pedindo conselho? Como é?

Já foi pior. Mas eu próprio aprendi a distanciar-me e a fazer de conta que não me estão a pedir nada. As pessoas pedem muito do estilo: «dar uma olhada»...

Eu tenho uma norma que não divulgo publicamente, que é dar mensalmente uma consulta completa gratuita pelo Skype. Consoante os emails que recebo, assim selecciono os candidatos/as.

Você ministra algum curso atualmente?

Em 2005 desisti de dar cursos. Já não tenho muita paciência, aos meus 63 anos, para projectos de longa duração. Prefiro escrever e publicar no blogue. A única coisa que faço em termos públicos, é uma vez por ano dar uma aula, aberta a todas as pessoas e trato de um tema específico em cada ano. O último encontro foi para tratarmos da crise económica europeia e mundial.

Está escrevendo algum livro? Poda elaborar um livro de fotos de Moçambique (Eu sempre
penso nisso!)

William, apesar de eu ter sido editor uma parte significativa da minha vida, actualmente, o «livro» em si é um assunto que já não me interessa. Já não me fascina. Perdi o interesse por esse objecto. Com isto não estou a advogar o desaparecimento do livro. Nada disso, até porque é uma indústria que dá salários a muitas pessoas em todo o mundo. Mas acredito que, inevitavelmente, num futuro não muito longínquo (30 a 50 anos) o «livro» enquanto produto sofrerá alterações significativas.

Tendo eu Júpiter em Aquário, sou muito virado para as modernices tecnológicas, sobretudo as ligadas à internet. Se eu para responder à sua entrevista não usei papel, foi tudo no computador, e nem sequer lhe enviei o ficheiro, pois limitei-me a colocar online e dar-te acesso ao texto. Se advogo esta modernidade, porque iria pensar em publicar livros? Já publiquei os suficientes ao longo da minha vida. Agora, quero modernidade. Meios límpidos.

( Eu não havia visto estas questões ainda, e me fascinou! Grato! )

Tem planos de vir ao Brasil? E de realizar algum curso ou Workshop no Brasil?

Adoraria voltar ao Brasil para estar contigo e ver os amigos. Gostaría imenso de te conhecer, William. Mas nem pensar em dar algum workshop. Para quê? kkkkkk Isso não faz a minha cabeça. Se em Portugal só dou 1 aula por ano, porque é que no Brasil iria alterar isso? Para mim, ir ao Brasil é para estar, sentir, dar abraços e beijos aos amigos e amigas, dançar nas baladas de pagodeiros, comer bem e curtir esse lindo país, beber suco de maracujá, espreitar uma Escola de Samba [ William, tu serias a pessoa ideal para me iniciar nestes mistérios, ir ao Rio de Janeiro, ao Rio das Ostras, a São Paulo e Ubatuba e a seguir, rumar até ao Sul, junto à fronteira com a Argentina. Achas bem este itinerário? 



( Acho perfeito, e ainda te levo ao Sul das Minas Gerais, no alto de uma montanha mágica de cristais! )

Gostaria que deixasse um recado para nossos leitores e amigos que aqui vierem te ler, uma
dica astrológica?!...

Não é bem uma dica astrológica, pois isso é muito difícil, já que cada pessoa tem o seu próprio mapa natal, mas sim, uma ideia bem simples: viver com verdade, sem preconceitos, aceitando os outros, não os julgando. Apenas isto.

António, eu te agradeço mais uma vez querido, a sua amizade, todo
conhecimento que você viabiliza através do seu trabalho, de seu empenho sério
e dedicado não somente no campo da Astrologia, mas ao Conhecimento. Quero
dizer mais uma vez o quanto você é amado por todos os seus amigos e por seus
alunos, todos nós aprendemos muito com você, e sentimos e vemos a pessoa DO
BEM que és!

E que você ARRASOUUUU nas respostas, eu não imaginava tanto brilho! Um típico charme e inteligência do sol em gêmeos não é!? Modestia parte! rsrsrsrs
Fique a vontade para acrescentar o que desejar a entrevista, se quiser dizer algo
que não está na pauta, fique livre e se sinta em casa!

William, é mesmo para me despedir, enviando-lhe um grande abraço, de enorme agradecimento, por se ter lembrado de mim para esta troca de ideias. Admiro muito o teu trabalho.

*******************************++








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...