segunda-feira, 8 de outubro de 2012

O Guardião Borboleta Cor de Rosa Purpurina




I

Se o verso cancela a cantiga
morde a lingua,
e dá voz a dor da vida,
Sufoca a garganta do poeta 
para que desperte com os pássaros
e grita!
Se o verso morde,
come,
anseia...
apaixona-se.
É a única coisa
que prova
ainda
que o poeta tem vida!...

II

Ele quer fugir,
sair de perto para não te magoar!
Ele é feito três vezes de ar
e tem espinhos
cospe fogo
é uma Quimera!
Ele não sabe dizer nãotequero...
ele não sabe escutar nãotequero...
Ele não sabe mais nada!

III

O poeta tem dó da dor da gente!
O poeta ama
e é odiado!
O pota odeia e é odiado!...
Canta o despertar do mundo e,
não é escutado.
Quando chora
chora calado!

IV

Será por quê os amigos 
se vendem por dinheiro?
Será que este mundo todo está enlouquecido
e nas regras insanas,
nas leis desumanas
esqueceu-se do Amor!
O Amor é mais importante que a comida,
que a TV a cabo,
que a bebida!


V

Mas o poeta descobre
que existem amigos
e apanha chibatadas de espinhos de rosas
para que aprenda
a confiar novamente na humanidade...
mas nem deus nem os anjos
entendem
que o poeta 
queria mesmo
era ter gente
que valesse a pena o seu canto!

VI 

Oh pra que vale
o canto do poeta!?
Se ele nao ganha...
Se ele nao é amado...
Se ele não tem mais nada
por que lutar...
Se ele quase resolveu se entregar
e dar seu coração aos chacais videntes...
Sua ligua para ser cortada
e leiloada entre os corvos abissais...
e seus olhos para serervirem de lanternas
para as ovelhas descrentes.


VII

É que nasce um mundo novo 
à força
a ferro e luz!
E arrasta o corpo deste
moribundo
transpassado ser-poeta-viver!

"Porque minha carne é boa comida
e o meu sangue é boa bebida..."

E o meu canto?!
Ah, P Q P !
O meu canto faz dançar os anjos e os demônios!


SAMBEDO N 30

Eu já fui o homem mais triste do mundo
Hoje sou felicidade
não temo mais a maldade
e amo o ser profano em mim!



Poemas de William Garibaldi Oliveira



3 comentários:

Maria Célia disse...

Olá William
Sua poesia é tão difícil de entender.
É bem sarcástica.
Boa tarde.

William Oliveira disse...

Depende da visão né Maria Célia...
cada um sente um verso de um modo.
O que você chama de sarcástica, talvez eu chame de doída, de guerreira, de denuncia?...

Sigamos cantando.

Grato

Bill de Oliveira disse...

Parece que não gostei do comentário deixado aqui pela leitora... mas concordo hoje com ela... é sarcástico mesmo o meu verso!
Nunca havia percebido.
Grato Maria Célia

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...