sexta-feira, 1 de julho de 2011

O Sol de Cássia



( Segundo Poema de O Nome do Mundo )

Está amanhecendo,
O sol é dourado e morno
E espanta a chuva...
a espada e o mal...
E a roupa vai enxugar no varal,
E a cidade é pedra pura, feita de poeria sem cor...
a cidade não vê o sol...
E que desgosto!
O meu amor também não vê o sol!...
Ele tem os olhos mesmos de todos os outros...
Ninguém vê este mundo amanhecer...
que perigo!
Por isto eu canto tão alto,
que as vezes machuco os meus próprios ouvidos!
O novo mundo está nascendo
e quem o vê?



* Cássia Eller, está no Sol agora...


* O Sol também é um sabiá!

__________
25/09/08
Ahau Cristal
Ano Cauac Elétrica

Um comentário:

Simone MartinS2 disse...

E quando o segundo sol chegar, para realinhar as orbitas dos planetas...Demais! Amo Cassia Eller, pena qe se foi tao cedo...E nesse inverno tao rigoroso, ta dificil de ver o sol mesmo, as vezes, entra pelas frestas da janela e diz um oi...em seguida, some e deixa o dia cinza, nublado e frio...Brrrrrrrrrrr! Acho que vou tomar um vinho, aceita um trago? Abraços

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...