domingo, 23 de setembro de 2012

A Lenda do Hades Paulistano


O Poema não me alimenta!

O corpo físico é bruto...
Não paga as contas no final do mês
Mata a sede d'alma, e pronto!
...se vai!
O poema não me gradua a frequentar um lugar nobre.
Não me faz freguês

na vendinha do português...
O Poema não me protege da burla dos bancos,
nem da loucura dos santos.
O poema não serve para nada neste mundo cinza!
Amargurado entendi,
que o problema não estava em mim!...
O poema não move o que está morto.
Ressucita Lázaro!...
...Mas apenas se ele quizer.
O poema não move o mundo dos homens,
que também estão mortos...
...Foi esta mesma gente morta
que matou o mundo!



W.O.



___________________________
Imagem Hércules e Kérbero AQUI


6 comentários:

Yasmine Lemos disse...

E o poema te protege com uma redoma de anjos que não pagam suas contas ,mas apagam feridas, curam cortes.
lindo demais seu poema,lindo
beijos e beijos

Maria Célia disse...

Oi William
É um poema prático, você conseguiu fazer poesia abordando coisas materiais.
Achei muito bacana.
Parabéns
Beijo

William Oliveira disse...

Faltava o complemento seu Yasmine, neste poema, ficou lindo...
Agradecido!

Bjus de Luz Amiga!

William Oliveira disse...

Bjao Maria Célia! Grato.

Esplendor da Criação disse...

Lindo poema William, criatividade em alta!! Bjs. Ieda.

Poesias disse...

Deliciosa de ler sua poesia, parabéns.

Nosso mundo realmente é bem mais cinza do que poderia ser, mas como sua poesia diz, são as pessoas que faz este mundo assim, pois o querem assim.

Abraço!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...