terça-feira, 23 de abril de 2013

Tatiando luz...


























Eu sinto que perdemos sim... 
sinto que há vezes, 
por nossa 'culpa' mesmo
deixamos pedaços de nós pelo caminho... 
muitas destas vezes sem perceber
Sinto que em algum tempo AGORA ETERNO
Estamos sim completos
Tatiando luz
...mas em outros tempos...
há tantos fragmentos...
perdidos encapsulados
pelos muitos caminhos
que percorremos.
Tateando luz...
Acredito na Unidade 
Pai Filho Espírito Santo e Mulher...
Acredito na Integração da Alma e da Matéria
Acredito também na RE- integração...
Tatiando luz... Preciso pensar a respeito
Monge... Eremita
Carpinteiro!
Tatiando luz
Sou um menino cigano
e por vezes odiava isto
hoje aprendi a ser como o vento...


_________________
Hoje...
. Para uma amiga, anja mãe... Zizi
 



segunda-feira, 22 de abril de 2013

Curso de Figurino de Carnaval



Aprenda a Desenhar
 
Comissão de Frente
Alas
Destaque de Luxo
Destaques de Composição
Mestre Sala e Porta Bandeira
Baianas

Primeiro Módulo
Duração de 4 meses
Uma aula semanal de 2 horas e meia


Elementos do Figurino, História do Figurino no Teatro, Televisão, Cinema e no Carnaval, Espaço Cênico, Funcionalidade, Criação, Pesquisa de Enredo, Interpretação de texto
( enredo/figurino ), Linguagem Visual, Pesquisa de materiais, Desenho Básico, Introdução as Diversas Linguagens Artísticas, A Moda e o Carnaval, Estudo das Cores, Desenvolvimento da Criatividade.

Também são propostos exercícos de pesquisa e criação semanalmente, onde o aluno terá uma semana para realizá-lo, ao apresentá-lo será feita uma aula sobre o seu projeto de pesquisa ou desenvolvimento de traço.
O Curso está aberto a outras formas de abordagem e a criatividade dos alunos e do professor, tudo o que for percebido e experimentado claro, dentro do assunto Criação Desenvolvimento do Figurino de Carnaval.
 

Segundo Módulo
Duração 4 meses
1 aula semanal de 2 horas e meia


Apresentação aos Materiais de Confecção da Fantasia.
Pesquisa de Materiais,
Experimentações
Desenvolvimento do Protótipo
Experimentando o Espaço Cênico
Introdução a Confecção, Costura, Bonecas e outros...

Mais Informações


Bill

( 21 ) 3629 8658
( 21 ) 8468 8262
Em Niterói
Icaraí

 

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Continuando a falar sobre o medo de estar só...

Recentemente eu escrevi aqui ( LINK ) sobre o medo de ficar sozinho, medo de simplesmente estar só ou medo de não se relacionar com alguém amorosamente...


Foi um sucesso a postagem, tanto que gerou milhares de acessos e recebi e-mail's de diversas pessoas comentando e especialmente elogiando a parte da postagem que eu agreguei o texto do site Somos Todos Um... confira o STUM clicando AQUI.
Hoje encontrei este texto que o transcrevo abaixo... 
E recomendo a Leitura sobre o Assunto neste Link:  A arte de tomar decisões certas 
Vamos viajar juntos neste assunto?
Conhecimento é Viagem...



Solidão x Solitude
O Osho Zen Tarot, muito apropriadamente, adota o nome Solitude para o Arcano IX e explica que a solidão – um atributo freqüentemente associado ao Eremita – “é uma solitude mal interpretada”. Você pode estar só e se sentir plenamente preenchido ou se sentir vazio próximo a outras pessoas – mesmo as muito queridas. Nas suas palavras, “a solidão é pobre, negativa, escura, melancólica”, “é ausência do outro” – no sentido da falta que o outro lhe faz.
É preciso ter cuidado quando se identifica ou se aconselha o isolamento através de um jogo. Uma coisa é dedicar um tempo para ouvir a si mesmo; outra coisa é a fuga “das dores do mundo”. Como escrevi antes, é preciso intercalar o dentro e o fora. Vida é relacionamento. Quando nos isolamos do mundo de forma radical, algo de saudável deixa de acontecer. Mais que isso, o Eremita nos ensina que para se relacionar bem com o  outro é preciso se relacionar bem consigo mesmo. É preciso gostar da própria companhia.
O cerne da questão é que não precisamos do outro para sermos  felizes. Os relacionamentos devem ser estabelecidos pelo prazer que eles, eventualmente, podem vir a oferecer, não pela necessidade de tê-los; não pela expectativa de que eles irão lhe suprir em alguma coisa .

“Um dia você aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas, do que com quantos aniversários você celebrou” — William Shakespeare.


 Imagens desta postagem:  
Em acordes, os avessos e vazios da vida. "Músico curitibano inverte tendência e lança disco antes de se apresentar em público" ( Títulos dramáticos de suas canções me fizeram temê-las! rrssr “A sete palmos do chão encontrei minha esperança perdida”."DEUSULIVRE! )

Solidão Criativa Arte de Nathan Jalani Taylor: Vale a pena conferir o artísta e sua obra no LINK..


quarta-feira, 10 de abril de 2013

BÁRBARO! Stephanie Brissay

 ... em Fotos de David Roemer for French Grazia


Queria ser bom de MODA assim, mas sou por demais alegórico e carnavalesco! rsrsr
O que me salva são os vestidos de noiva! Todos tem cara de BOLO ricamente confeitado, mas salva-se!

Se delicie com estas imagens, da moda através das décadas por  Stephanie Brissa.





















 UM LUXO!

Magazine: Grazia France
Editorial: Moda Nostra
Photography by
David Roemer |Atelier Management|
Stylist: Stephanie Brissay
Hair: Javier Palacio
Makeup: Carole Lasnier
Models: Olga, Yulia, Adina, JP
Website: www.ateliermanagement.com
Fashion photographer David Roemer takes the pages of French Grazia magazine with this superb set styled by Stephanie Brissay.


COLHIDO AQUI 


 

terça-feira, 9 de abril de 2013

Medo de estar sozinho... Medo de ficar sozinho...




Eu sempre tive medo de estar sozinho, de ficar sozinho... até que descobri aos poucos que são muitas as vantagens de se viver só, e isto inclui as vantagens ilimitadas de ser solteiro! Tudo tem seu lado bom e este lado bom é infinito muita das vezes, mas nós estamos educados a sermos limitados quando olhamos para algo novo ou desafios
E viver sozinho é um destes desafios que nos trazem uma infinidade de vantagens, e não estou falando de liberdade sexual ou de andar nú pela casa... vai além disto. Chega ao autoconhecimento, a filosofia,  a arte de ser quem se é...
Descobri estudando muito, que ter medo de estar só é ter medo de si mesmo, ou seja, temos tantos monstros internos que podemos nós mesmos nos representar uma ameaça... Minha mãe aconselhava: "Estes fantasmas que você teme no escuro estão dentro de você, não tenha medo deles, chame-os para uma franca conversa!"
Sábia ela não acham? Sim, muito.


E aos poucos a necessidade fica maior que a vontade ou que a própria inteligência e conseguimos fazer as ligações necessárias e construimos as pontes que nos levam a uma vida melhor, a solução de um problema, a cura, autorealização etc...
Creio que uma das mais valiosas sacadas que tive foi que, quando se está sozinho, não se precisa "ficar sentado no chão do canto do quarto", velho clichê de imagens de diversas fontes! Você pode sair...       siiiimmmmm!!!
Sair pra fora, olhar as estrelas, sentir o vento, ver o dia... você pode escutar uma música, assistir a um filme, escrever em um Blog, ler um Blog!  
Mais sugestões?!...
Tomar um banho demorado... produzir artesanato, compor, pintar, limpar a casa, reformular seu visual, doar roupas, fazer um trabalho voluntário na sua vila, sim... e muito mais!
Experimente dosar então, momentos de solidão com momentos com os amigos, momentos de ficar só com momentos de se exercitar  e se exrercite sozinho e depois com uma boa corrida com seu melhor amigo.
Você pode fazer uma prece quando estiver só ou bater um papo consigo mesmo, tem gente que escolhe ler a Bíblia, acho válido demais! Ou ler um livro, escrever poemas... Creio que você me entendeu depois de tantos exemplos né?! E pense se você não anda vendo a solidão de um modo negativo, ou anda?
Respire, Alterne, Equilibre!
Vença a preguiça! Sim ela é o fator número um a meu ver que faz com que você não descubra o novo, e o prazer de desafiar-se!

Recomendo a leitura deste texto:  Monstros que vivem comigo.

Continuando... 

 O que representa para você a possibilidade de estar só consigo mesmo?

O Medo da Solidão

Colhido no SOMOS TODOS UM , considero este, o melhor site de autoconhecimento e estudos espirituais da Web. Vale a pena ler e interagir.
 
"Este é um tema importante pois diz respeito a determinados "vicios existênciais" muito comuns aqui neste plano, tão comuns que a maioria das pessoas nem ao menos se dá conta de que vive num redemoinho...

Muitas pessoas estressadas sonham com o momento em que vão poder estar a sós com elas mesmas, almejam horas de lazer ou de férias, mas pouquíssimas sabem como se reabastecer internamente.

Já se questionou sobre isso alguma vez?

Existe a possibilidade de se fazer um mergulho interior, mas parece que não é tão fácil assim, pois o ritmo agitado do dia a dia facilita muito a fuga de nós mesmos.

A exemplo disso, podemos observar as pessoas que ficam eternamente presas aos seus próprios pensamentos e como estes passam a adquir autonomia própria, pensando pelo seu proprietário.

Temos também outros inúmeros exemplos pelos quais se costuma transitar, sendo que todos propiciam um estado parado e de torpor que também desemboca na falta de contato com a unidade interna.

Como uma sombra, existe um enorme medo da solidão rondando a todos, sendo que a maioria de nós tem medo de se reconhecer, de entrar em contato consigo mesmo.

O fato é que quando de verdade se chega no estar só, portanto na busca do autoconhecimento, aí e só a partir deste tipo de solidão, é que realmente se chega no outro, alcançando-se assim, a certeza inabalável de que existe algo de muito grande unindo a todos nós, algo que ao mesmo tempo está por trás de tudo e permeando a todos.

Então pela própria experiência vive-se um paradoxo, sabe-se que se é só e que ao mesmo tempo somos todos um e é nesse grande lugar encontrado que definitivamente sabemos que não há o que temer, pois a solidão do modo que se imagina não é real... (este é o lugar do conhecedor).

Existem milhões de pessoas que transitam pela vida com mapas depressivos, muitos vem e vão com ódios terríveis, outros tantos seguem acreditando que devem sofrer ou viver apenas paixões através de suas pulsões ou mesmo pertencer a algum sistema de crença aprisionante...

TUDO ISSO É FUGA PARA NÃO ENTRAR EM CONTATO CONSIGO MESMO!
- VAMOS PRATICAR A MEDITAÇÃO, BUSCAR POR UMA SÉRIA INTERIORIZAÇÃO OS CAMINHOS QUE NOS LEVEM ÀS NOSSAS UNIDADES E, PORTANTO, A NÓS MESMOS."






segunda-feira, 8 de abril de 2013

Poema de Pierrot...



Novo Poema de Pierrot

Pierrot já pro Divã!
Que amar assim é feio
É mal agouro / ...mal afã!
É não amar a si mesmo
desmedido
degredo...
Quem sabe um dia
se revele
além das máscaras da discórdia
o motivo
do teu drama ser chamado de comédia...



William Garibaldi Oliveira




Imagem dAQUI

 


sábado, 6 de abril de 2013

Festival das Cores

 

...ou Festival da Primavera. ( Sei que estamos no outono! )  mas não resisti em partilhar aqui.
Vi uma foto no PINTEREST agorinha e fui pesquisar esta história de um monte de gente se pintando com pó ou com tinta liquida!


Tem um sentido, um Mito, um significado muito mais profundo, claro!
Tudo o que o coletivo faz de belo é especial, e em tempos de hoje principalmente! 
Sei que as atitudes humanas são regidas ou fecundadas por arquétipos, ou mitos... seria a grosso modo o que dá sentido a vida... o 'Sentidus Quo!' da coisa.
E eu destaco alguns dos sentidos ou potências que mais gosto, e encontro no Holi...
São eles: Alegria, Comungar, Compartilhar, Rir de si e fazer o outro rir também, Rir da sombra... não levando a vida e as pessoas tão a sério... não se ofender... leveza, transparência... cores!


"Holi o Festival das Cores

HOLI ou Festival das Cores é um festival realizado na Índia todos os anos entre fevereiro e março, que comemora a chegada da Primavera. Neste dia, as pessoas atiram tintas das mais diversas cores umas às outras, com muita bebida, comida e música. Essa brincadeira começa quando crianças atiram as tintas aos pais e irmãos sendo que, no final, todos estão completamente pintados e coloridos.

Holi, também chamado de Festival das Cores, é o popular festival hindu de Primavera observado na Índia, Suriname, Guiana, Trindade, Reino Unido, Ilhas Fiji e no Nepal. Em Bengala Ocidental da Índia e do Bangladesh, é conhecido como Dolyatra (Doljatra) ou Boshonto Utsav ( "Festa da Primavera").
O principal dia, Holi, também conhecido como Dhulheti, Dhulandi ou Dhulendi, é celebrada por pessoas jogando pó colorido e cor da água em si. As pessoas se comprimentam dizendo “Holi Hai”. Fogueiras são acesas na véspera, também conhecido como Holika Dahan (morte de Holika) ou Chhoti Holi (pouco Holi). As fogueiras estão acesas em memória dos jovens que escaparam de  Prahlad Diaba Holika, irmã de Hiranyakashipu, quando os levaram ao fogo... ( Não sei quem são Prahlad Diaba Holika e seu irmão... e não se encontra informações na net sobre eles... e a Tradução está Horrível e foi o que deu pra arranjar aqui neste ponto! ) Holika foi queimado, mas Prahlad, um fiel devoto do deus Vishnu, escapou sem ferimentos devido a sua inabalável devoção. Dahan Holika é referido como Kama Dahanam em Andhra Pradesh.
Holi é comemorado no dia de lua cheia do mês de Phalugna ou Falguna (Phalgun Purnima), que geralmente cai na parte posterior de fevereiro ou março. Em 2009, Holi (Dhulandi) está em 11 março. Dahan Holika e está em 10 março. No dia 11 de Março de 2009, o festival Holi foi homenageado na página principal do site de relacionamentos orkut.
Rangapanchami ocorre poucos dias mais tarde, em um Panchami (quinto dia da lua cheia), marcando o fim das festividades que envolvem cores.

 
"Origem Simbólica

Os historiadores contam que o Holi antecende em muitos séculos o nascimento de Cristo e são muitas as lendas que explicam o seu aparecimento, em geral remetendo ao temível Rei Hiranyakashyap. Muito vaidoso, ele queria que todos no seu reino o venerassem, mas foi justamente o seu filho Prahlad quem resolveu adorar uma entidade diferente, chamada Lord Naarayana. Hiaranyakashyap combinou com a sua terrível irmã Holika, que tinha o poder de não se queimar, que ela entraria numa fogueira com Prahlad em seus braços para matá-lo. Mas Holika deu-se mal porque ela não sabia que o seu poder de enfrentar o fogo seria anulado quando ela entrasse na fogueira acompanhada de outra pessoa. Lord Naarayana reconheceu-a bondade e devoção de Prahlad e salvou-o. O festival, portanto, celebra a vitória do bem contra o mal e o triunfo da devoção.[1] A tradição da queima Holika ou o "Holika Dahan" vem principalmente a partir desta lenda.
Apesar de esta ser uma festa colorida, existem vários aspectos de Holi, o que o torna tão importante para a cultura da Índia. Embora possa não ser tão evidente, um olhar mais atento e um pouco de pensamento revelará o significado do Holi em mais formas do que aquilo que simplesmente se vê. Holi celebra também a lenda de Radha e Krishna, que descreve o extremo prazer que Krishna teve na aplicação de cor sobre Radha e Gopis. Esta brincadeira de Krishna mais tarde, tornou-se uma tendência e uma parte das festividades do Holi."

FONTE:  http://pt.wikipedia.org/wiki/Holi
IMAGENS: AQUI











Máquina é Verbo



Fui falar do silêncio
e fiz barulho...

Você que vende a alma
e usa a fé, a saúde, a política
e o carnaval
para aumentar seu capital
e pisa
a boca do lixo
o produto do sangue e do suor do pobre...
feito de pobre pulgão por ti formiga!

Somo todos Um
Eu você e o dinheiro!...
O luxo do lixo 
é o lema da minha vida...

_________________________
Retalhos de versos
de William Garibaldi Oliveira



Imagem dAQUI : http://pinterest.com/pin/374643262722118765/




sexta-feira, 5 de abril de 2013

Cansado das Leis do Universo... e de mim

Tranquiliza
___ Na Vida... sempre acontece o melhor
Mas quem disse que a gente quer o melhor?!
Mas "o melhor" é o que a gente quer e pronto!
Que lei maluca!


Imagem dAQUI: http://pinterest.com/pin/102738435221507375/



quinta-feira, 4 de abril de 2013

'Apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco...'

Dando a impressão de que eu pedia um favor ao respirar...
E já devia algo pelo fato de existir!
Quando eu nasci todos os terrenos já haviam sido loteados
Todas as minas de ouro patenteadas...
Todos os diamantes raros encontrados;
Todos os poços de petróleo explorados...
Não sobrando mais nada de riqueza de McDonald's
para mim...
( Sulamericana gente?... ) 



quarta-feira, 3 de abril de 2013

Carnaval Histórico promovido pelo Jornal Extra no Rio de Janeiro


... realiza mais uma momento incrível em 2013

"
De repente a escuridão. Neblina, pouca luz, e um arrepio corta a espinha. Em meio a olhares curiosos e ansiosos, daqueles que buscavam algum ponto de referência, surge uma fila de senhores elegantemente vestidos de vermelho e branco e saudando a multidão que os acompanhava. Como em uma cena de filme, todos são transportados para a Candelária. Era 1963, e a comissão de frente do Salgueiro tomava a pista, como em um passe de mágica, cantar novamente Xica da Silva, a escrava que virou rainha. A emoção tomou conta do ambiente e arrebatou todo o público. Mesmo aqueles que tentassem resistir.

Quem acompanha o carnaval do Rio de Janeiro já ouviu falar da energia que marca alguns desfiles históricos. Energia que permeia a lembrança dos mais velhos e desperta a curiosidade dos mais jovens. Como um resgate dessas lembranças, o “Carnaval Histórico 2013”, evento promovido pelo Jornal Extra, no Imperator (casa de shows da Zona Norte do Rio), homenageou os 60 anos do Salgueiro e reviveu três dos maiores desfiles da história da escola. Xica da Silva (1963), Bahia de todos os deuses (1969) e Festa para um rei negro (1971). Três enredos “afros”, três desfiles marcantes, três campeonatos vermelho e branco e uma sensação indescritível.

Cenas eternizadas em fotografias, como a famosa dança do minueto de Xica da Silva, ganharam cores, movimentos em nossos corações. Impossível não se emocionar ao ver Isabel Valença e sua eterna fantasia, coroada pela pomposa peruca. Linda, sorridente e eterna. - Mas é apenas uma fantasia – murmurou uma senhora que assistia tudo atentamente. Era mais que isso. Era Isabel de volta, provando que o legado de sua energia não irá se perder nas areias injustas das ampulhetas do tempo.

Em meio às luzes surge ela. A Iemanjá espelhada da “Bahia de todos os Deuses”. Uma maluquice inventada por Arlindo Rodrigues. Como uma lenda encantada, arrombava a retina de todos que para ela olhavam. Hipnotizados viram a alegoria desaparecer no túnel de luz, assim como a original, oferecida em oferenda à homenageada após o arrebatador campeonato de 69.

E as baianas? Nossa! Giravam para lá e para cá embaladas pelos versos fantásticos e atuais dos compositores do Salgueiro. Quem nunca cantou o “Ô-lê-lê / Ô-lá-lá” – famoso trecho do samba de 71. Até a torcida do Barcelona se rendeu a simplicidade genial da combinação mais famosa dos estádios de futebol.  Não era a festa para um rei negro. Era a festa para todos os reis e rainhas que ali estavam. Todos negros, independente de cor.

Sempre buscando valorizar a memória daqueles que ajudaram a construir a história do maior espetáculo da Terra, o evento prestou reverência para algumas das maiores personalidades da história da escola tijucana. Djalma Sabiá, fundador da Vermelho e Branco, Zuzuca, compositor de sambas que estão para sempre gravados na memória da folia carioca, Fernando Pamplona, o carnavalesco que ajudou a mudar a maneira de pensar e ver um desfile de escola de samba e Casemiro Calça Larga, mítico diretor de harmonia salgueirense.

Autêntico como sempre, Fernando Pamplona quebrou o protocolo e desafiou os presentes a cantarem sambas recentes que não fossem de sua própria escola. Em seguida, cantarolou os versos de "Vem chegando a madrugada", composto por Noel Rosa de Oliveira e Zuzuca que voltou ao palco e arrebatou o público em um coro espontâneo e emocionante.

Recriando uma tradição da década de trinta, o evento promoveu a escolha do “Cidadão Samba”. No início do século a escolha era feita pela imprensa. Na modernidade dos dias atuais, a escolha foi feita através da internet. Nomes de peso como Neguinho da Beija-Flor, Monarco e Martinho da Vila estavam no páreo. Mas o resultado consagrou a genialidade de Zé Katimba. E a escolha não poderia ser mais acertada. Emocionado, o “Cidadão Samba” de 2013 subiu no palco com uma bandeira da Imperatriz e embalou todos ao som de “Martim Cererê” (1972) e “Em teu cabelo não nega” (1981). Duas composições suas que embalaram a Verde e Branca de Ramos.

A festa foi comandada por Ana Paula Araújo, apresentadora do RJTV (telejornal da TV Globo) e durou um pouco mais que o tempo de um desfile de escola de samba atual, cerca de duas horas. Porém, o que se viu na imaginária Candelária de outrora, cravada no chão do Imperator, ficará eternizada na memória. Muito mais que qualquer sensação efêmera das apresentações fantásticas contemporâneas. É o passado fantasiado de presente para projetar um futuro que nos faça sentir tão bem quanto antigamente.

Como a cereja do bolo, um encontro inédito encerrou a noite. Jair Rodrigues, Elza Soares e Martinho da Vila entoaram sambas antológicos como “Heróis da liberdade”, “Aquarela Brasileira”, “Salve a Mocidade” e tantos outros. No fim, eles tiveram a companhia de Leonardo Bessa, um dos intérpretes oficiais do Salgueiro, para fazer todos embarcarem no Ita e “explodirem o coração” de felicidade, já contando os dias para o próximo ano. Naquele sentimento que apenas a quarta-feira de cinzas nos deixava. "



"Isabel Valença, no amanhecer com a Candelária ao fundo... eterna imagem do desfile de Chica da Silva no Salgueiro..."  Milton Cunha


Confira a fonte deste texto neste Link: http://www.carnavalesco.com.br/detal_carnavalesco.php?car_id=4662








LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...