domingo, 14 de janeiro de 2018

A Mensagem da Mulher do Fim do Mundo

Texto e Pesquisa
Bill Oliveira
Multimídia, Ilustrador e Pesquisador do Carnaval e da Cultura Popular Brasileira.







ELZA SOARES
A Mulher do Fim do Mundo
Desperta o Poder Feminino!


Sonhei um sonho lindo...
O mundo recriar
Com a voz que pode vencer o mal!
Eu vim do “Planeta Fome!”
Onde ninguém tem nome
Atravessei desertos e montanhas...
Venci a Dor e a Pobreza
Para me tornar a Dona do Carnaval
Hoje sou fantasia...
Um delírio sem igual
Seguindo a trilha de um “ritmo quente”
Dissolvi-me no sangue de cada mulher fervente
Conheci
A Origem Negra que navega em mim...
Sou um “navio humano”
No corpo eu carrego
A raiz e o barro do mangue
Vida à beira do Mar Fecundo...
O poder gerador de estrelas é feminino!
A Lama é feminina... 
É NEGRA! E dela eu surgi para dançar
Com Sentinelas, Taifeiros, Estrelas,
Madrugadas e Escolas de Samba...
Iluminando e nutrindo meu sonho!

Superei miséria, preconceito, abuso e discriminação!
E em momento algum deixei de cantar minha canção!
Assim conquistei, amei, sobrevivi...
Por isso “Me respeita” que “o laço se fechou”
O velho mundo acabou!
O machismo perdeu vez
Caducou na loucura do freguês!
E cada UMA de nós está na sua ORIGEM...
Toda mulher é rainha
Toda mulher é negra
Toda mulher é a sua mãe!!!
E sua mãe é Geradora de Vida!
Vai dizer que não sabia?
“Moço olha o vexame! ”
Então acho bom me escutar
Obedece a minha lei
Segue a minha fé!
“Beba-me! ”
Quebrei a Máquina
Quebrei com a ginga do meu samba
Sou todas as mulheres em uma...
Sou Elza Soares
Sou “Paixão selvagem”
Eu sou a “Dona da Barriga”
Eu sou a mãe de Deus!


A Mensagem da Mulher do Fim do Mundo

Não se trata de um enredo que fale de Elza, mas sim, por Elza! Ou melhor, através de Elza Soares... Por ela observaremos o poder da feminilidade e sua importância ancestral na sociedade e na alma...
Na vida!
Bastava dizer isto!
Mas em um mundo racional, é bom que acrescentemos algo mais... Pois a razão gosta de tentar explicar tudo e talvez diante desta eloquente figura, devamos mesmo reverenciar a razão ou quem sabe fugirmos um pouco para ela?
Em uma sociedade hipócrita, materialista e masculinizada Elza Soares é exemplo ao simplesmente ser quem ela é: Um símbolo do Poder Feminino.
Venceu e provou seu talento!
E agora volta a fazer sucesso quando muitos, especialmente os mais jovens haviam se esquecido dela. Com um trabalho mitológico, pois carregado de simbolismo em suas letras e ainda agregando um visual bem construído, ela ressurge agora e é como uma APARIÇÃO! 
Negra, Mulher, Entronada!
Ela é todas as mulheres em uma!
Ela é todas as Negras! E mais, ela é a senhora do mangue, da lama geradora de vida. Encarna a Escuridão da Criação, a escuridão de dentro do Útero!
Esta aparição nos remete a tudo que é ancestral e primitivo, pois em meio a raízes e em um cenário ao mesmo tempo apocalíptico ela é sem dúvida... A Mulher do Fim do Mundo! 
E isto tudo em um momento onde a sociedade está em crise não apenas financeira, mas religiosa, ética e emocional!
O sistema “capitalista-consumista-falocêntrico” está ruindo, este sistema que sempre reprimiu e anulou a mulher, e como consequência reprimiu e destruiu a natureza e sendo assim destrói o planeta!
Este sistema social e financeiro que nasceu fadado ao fracasso, está mesmo no fim! Vivemos este colapso!
Podemos entender que a aparição de Elza Soares é exatamente no fim do velho mundo inventado pelos homens?
Seu trabalho nos faz pensar profundamente.
Nos faz enxergar “A Mulher Ancestral”.
A Origem da Vida na Mulher! ...Na Deusa de todas as Religiões Antigas.
E sugere uma sociedade como a primitiva, comandada pela mulher... Sugere harmonia entre as forças femininas do sentimento e ecologia e as energias masculinas da razão e da tecnologia. Sugere uma saída!
Este poder feminino renasce e o homem que respeita a mulher e entende sua função e valor no mundo não se assusta, não se incomoda. Afinal todos somos filhos de uma mulher...
“O filho de Deus nasce de uma mulher na cultura religiosa vigente de nosso mundo ocidental.”
Destas visões começará a nascer aos poucos um novo cidadão, conscientizado e que compreende este feminismo espiritual! Isto tudo que parece um delírio... E é delírio, tem que ser delírio! É parte dos domínios do reino da intuição, da fantasia, do feminino emotivo e emocional...
É uma trilha de luz onírica a ser seguida. Um frenesi feminino que desperta a todos, com a fúria que parece um vulcão. Uma fúria dentro de nós que nos faz também querer cantar?
Esta Fêmea desperta além da imaginação nossa efervescência.
Pede reverência. 
Vulcão no corpo...
É a glorificação!
Evoca a “Mulher Selvagem!” de “Mulheres que correm com lobos" um famoso livro feminista e espiritualista que ganhou o mundo na década de 90. É a mensagem da sexualidade da mulher, vivida sem culpa e sem tabu! O sexo da mulher não mais visto como frágil e sim... Belo!

(Isto tudo sugere liberdade sexual que não foi ainda conquistada. Sugere direitos iguais de mando na sociedade que ainda é só fachada! Sugere que não existe posição inferior na cama e muito menos sexo frágil! Não é feio ser feminino! Não é MENOS ser mulher!)

Ela que fez tudo com samba! Causou revolução com samba! Ela que tem a Estrela de Padre Miguel por sua guia, que ama a Mocidade Independente, escola de samba que ajudou a popularizar, cantando sua bateria com seu "ritmo quente!"
Assim ressurge e mostra que sabe ser quem é! E é ser sem vergonha de ser e de viver.

É loucura tudo isto para você? Delírio?
Sim é delírio e fantasia... Não precisa fazer sentido... Apenas sinta... Apenas se inspire!
É sonho e é delírio mesmo! Pois o Feminino... A Psique...
A Alma Fecunda podem nos valer quando falamos sobre o que não
podemos ver... Quando "tocamos" em imagens de sonho e em verdades onde a razão masculina não consegue chegar: 
‘Onde nenhum homem jamais esteve, está a mulher!...’ - A Mulher do Fim do Mundo!
Mulher Ancestral, Loba, Selvagem! Mulher que é Feiticeira, Sacerdotisa... Deusa Criadora!
É preciso restaurar este conhecimento em nós para compreendermos as sutilezas da alma... Mas este conhecimento hoje desperta mesmo sem nossa vontade e compreensão!
Sua imagem nos oferece uma interpretação da sociedade atual e de seu colapso!
O Poder feminino desperta e “Ele” se torna “Ela”...   
Esta é a “bomba feminina”... Até o homem vira mulher para mostrar que a Mulher vive em cada um de nós.
Todas estas sugestões imagéticas impossíveis para a razão vão de encontro com nosso momento, onde o machista se apega aos últimos vestígios do seu mundo, tentando gerar retrocesso.
Elza Soares é virtual e toca a todos com sua mensagem estrondosa de feminilidade! Toca todos os sentidos em seu álbum que inspira o nome do enredo a ser desenvolvido em um desfile virtual pela União da Gávea em 2018! Um projeto... Um movimento... Virtual e Viral!
E com sua bossa e malandragem ela parece dizer para quem não quer compreender o valor da mulher:
"Moço olha o vexame!" 
E mais... “Beba-me! ”
Sou mulher...
“EU SOU Negra!”
Tem sentido de uma Nova Eucaristia!
De comunhão com o corpo da mulher...
Cumpre sua missão!
Assim Elza se empodera e se diviniza.
Senta em um seu trono de galhos e raízes no topo de uma árvore e canta - É a visão da Yami Osorongá, que senta na árvore da criação! Aqui devemos saudar! – Esta árvore negra que brota de um mangue úmido e morno cheio de vida potencial. E dali une-se a figura de todas as mulheres do mundo... Ela é Una na Árvore!
Concluímos então, que esta mulher não tem conclusão...
Elza é... Elza está!... Pois sempre esteve e sempre estará!



Adendos

O primeiro texto é inspirado nas energias e arquétipos que regeram a vida de Elza Soares e sua carreira,
 em sua lição de superação e feminilidade, bem como no poder de sua personalidade e de sua voz. Símbolos recorrentes especialmente em seus álbuns “A Mulher do Fim do Mundo” e “Beija-me (beba-me)”.
Quando canta “Coração do Mar”, se imanta de extremo simbolismo e de energia do “coração inconsciente coletivo” ela diz ao que veio. E em seguida pede se impondo: "Me deixem cantar! Cantar até o fim!"
E agora reconhecida mundialmente, reverenciada e em plena forma, vai além: "A Mulher e a Máquina".
Talvez integrando a luta do Criador x Criatura? A alma com a frieza do progresso. Quebra a máquina com sua ginga... A Máquina devoradora que é um moinho de gente... Suga o sumo do povo e ainda oprime o negro. Diz mais: A pele Negra tem Valor!
Temos aqui o progresso e a ecologia em conflito diante de um mundo decadente que nada aparentemente aprendeu sobre as emoções
(Feminilidade) e a natureza (Mulher). Outro conflito entre a razão e a emoção gera confusão dentro de cada um que não sabe para onde correr, em que fé acreditar? Em que político? Em que homem?
A mulher traz em si o fogo que aquece e quem sabe ainda dá coração para a máquina?
Alguns elementos que contam a história de Elza Soares estão insinuados no texto e assim estarão no desfile: A música; A dor da perda no seio familiar; O preconceito que enfrentou por ser mulher e negra; O amor conturbado com Garrincha onde sofreu o preconceito e ataque da sociedade hipócrita que esquece sempre seus próprios pecados; A estrela da Mocidade Independente de Padre Miguel; A Força de Sua Voz e a Revolução da Mulher do Fim do Mundo.
Na justificativa que acima no texto se apresenta como uma explicação da mensagem desta Mulher Apocalíptica, apresenta o Poder Feminino que dará norte e lentes ao desfile.
Não se trata então de um enredo biográfico e sim simbólico!


Bill Oliveira
Multimídia, Ilustrador e Pesquisador do Carnaval e da Cultura Popular Brasileira.

                              

Inspirações
A vida e a obra de Elza Soares.
Seus respectivos álbuns e músicas: “A Mulher do Fim do Mundo”,
especialmente nas canções: "Coração Do Mar / Mulher Do Fim Do
Mundo" , "Maria Da Vila Matilde" , "Pra Fuder" e o álbum “Beba-me”,
especialmente nas canções: “Dura na Queda”, "Beija-me (beba-me)" e
"Estatutos Da Gafieira"
O seu mais recente trabalho "A Mulher e a Máquina"

Bibliografia:
Mulheres que correm com lobos, de Clarissa Pinkola Estés, Tradução de
Waldéa Barcellos, Editora ROCCO Rio de Janeiro 1999
Elza Soares Cantando para Não Enlouquecer, de Jose Louzeiro, 
Editora Planeta do Brasil 2010.

Glossário de Conceitos e Termos

Psique:
 A alma feminina e pode também ser entendida como a alma feminina em todos nós, segundo a Psicologia dos Símbolos de Carl G Jung.
Inconsciente: O inconsciente é onde a=habitam os sonhos e os símbolos arquetípicos segundo a Psicologia dos Símbolos.
Mar Ancestral: Mar inconsciente, refere ao inconsciente coletivo na psicologia dos símbolos.
Origem na Lama: Teoria da origem religiosa da origem do homem no barro. Não apenas o cristianismo acredita nesta teoria, algumas tribos africanas também. 
Origem na Água: Uma vertente cientifica afirma que a vida na terra veio do oceano, incluindo a humanidade.
Origem na África: Teoria científica da origem da humanidade no continente africano-negro.
Yami Osorongá: As Deusas Africanas da Criação. Podem ser representadas como metade mulher e metade pássaro. Entidades que devem ser saudadas e reverenciadas todas as vezes que falamos seu nome.
A Deusa Criadora: Algumas religiões antigas da Europa e Ásia acreditam na Deusa como a parceira de Deus Masculino. Ou na energia da criação como uma Entidade Feminina, o que vem confrontar o valor exagerado ao homem em nossa civilização atual. Resgata-se este conhecimento para se resgatar o valor da mulher.  
Arvore da Vida: Arvore é um símbolo vivo em todas as religiões está ligada a ancestralidade e a criação do mundo.



                       




União da Gávea
Presidente Marcelo Custódio
Presidente de Honra: Clayton Gomes
Diretor de Carnaval: Renato Moço
Carnavalesco: Bill Oliveira






Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...