quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Dylan Thomas

                  

"Poesia é aquilo que me faz rir, chorar ou uivar, aquilo que me arrepia as unhas do dedo do pé, o que me leva a desejar fazer isso, ou aquilo, ou nada.


A LUZ IRROMPE ONDE NENHUM SOL BRILHA


A luz irrompe onde nenhum sol brilha;
onde não se agita qualquer mar, as águas do coração
impelem as suas marés;
e, destruídos fantasmas com o fulgor dos vermes nos cabelos,
os objectos da luz
atravessam a carne onde nenhuma carne reveste os ossos.

Nas coxas, uma candeia
aquece as sementes da juventude e queima as da velhice;
onde não vibra qualquer semente,
arredonda-se com o seu esplendor e junto das estrelas
o fruto do homem;
onde a cera já não existe, apenas vemos o pavio de uma candeia.

A manhã irrompe atrás dos olhos;
e da cabeça aos pés desliza tempestuoso o sangue
como se fosse um mar;
sem ter defesa ou protecção, as nascentes do céu
ultrapassam os seus limites
ao pressagiar num sorriso o óleo das lágrimas.

A noite, como uma lua de asfalto,
cerca na sua órbita os limites dos mundos;
o dia brilha nos ossos;
onde não existe o frio, vem a tempestade desoladora abrir
as vestes do inverno;
a teia da primavera desprende-se nas pálpebras.

A luz irrompe em lugares estranhos,
nos espinhos do pensamento onde o seu aroma paira sob a chuva;
quando a lógica morre,
o segredo da terra cresce em cada olhar
e o sangue precipita-se no sol;
sobre os campos mais desolados, detém-se o amanhecer.


Dylan Thomas

( tradução: Fernando Guimarães)




Fontes:
http://www.culturapara.art.br/opoema/dylanthomas/dylanthomas.htm
e Wikipedia




9 comentários:

✿ chica disse...

Lindo,William! E tu andas sumidinho ou eu não te vejo?sr abração,chica

Beth/Lilás disse...

Super William!
Apareceu margarido!
E sua volta é uma homenagem à poesia, bom sinal, quer dizer que tua vida está iluminada.
grande beijo, carioca

Xipan Zéca disse...

Ô mininu que cóspi fogo.. rss

E aew amigo William, comotatu? Sisqueceu-se dus amigo é? rss
Num tem adiscurpamento, vê se aparece rapais..

Abraços
Deusssssssskiajude
Tatto

Simone MartinS2 disse...

Nao tenho nada a dizer, pois a poesia revelou o verdadeiro "EU" que existe em voce, e isso me deixa muito feliz!

"...A luz irrompe em lugares estranhos,
nos espinhos do pensamento onde o seu aroma paira sob a chuva;
quando a lógica morre,
o segredo da terra cresce em cada olhar
e o sangue precipita-se no sol;
sobre os campos mais desolados, detém-se o amanhecer me revelando o teu verdadeiro ser..." Amei!
Psiu! bjinho estalado no segredo nao revelado...rsrs

Yasmine Lemos disse...

A poesia nos cala.
e vc com seu fogo intenso e lindo
beijo ,beijo

Emíliana disse...

Cada vez mais intenso,mais brilhante,mais fervente...
Saudade,saudade,saudade...
De vc e de nossas aulinhas.
Bom fds,bjka

Bloguinho da Zizi disse...

Que jeito lindo de voltar...
Já estava com saudades dessa energia que contagia e fala com minha alma.
bem vindo
beijinhos

Astrid Annabelle disse...

"Poesia é aquilo que me faz rir, chorar ou uivar, aquilo que me arrepia as unhas do dedo do pé, o que me leva a desejar fazer isso, ou aquilo, ou nada."
O William voltou!!!
Beijos de luz (onde nenhum sol brilha!)
Astrid Annabelle

Luma Rosa disse...

Que linda prosa de Dylan Thomas. Conhece "Amor Extremo"? Acho que também tem muito a ver com você. Seja bem-vindo!! Beijus,

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um Ano de Versos de Fogo

Marginal é a POESIA

que te PARIU!!!!!!!!!!

Violão em Chamas...

Violão em Chamas...